Rotas Verdes Brasil na reta final

Documentarista de natureza retorna ao Vale do Aço após 8 meses de expedição

Fernando Lara


Jandaia-cabeça-de-ferrugem - Rio Preto


DA REDAÇÃO - Os trabalhos de campo da expedição Rotas Verdes Brasil terminam no próximo sábado (17). O documentarista de natureza, Fernando Lara, retorna ao Vale do Aço depois de 8 meses registrando a fauna e a flora do País em um percurso feito em uma Honda Bros bicombustível. A expedição passou por 20 estados e captou imagens de 30 áreas de preservação. O trajeto ultrapassou os 18 mil quilômetros previstos e chegaram a 20 mil km de estrada percorridos.


A equipe da Fauna e Flora Documentários, responsável pela expedição, prepara uma grande recepção para o documentarista de natureza. Fernando Lara será recebido com uma carreata formada por patrocinadores, apoiadores, integrantes do Jipe Clube Vale do Aço e de clubes de motociclistas da região. O comboio sairá da BR-458 e irá percorrer vários bairros de Ipatinga até chegar ao Kartódromo Emerson Fittipaldi onde ocorrerá uma cerimônia de encerramento da expedição.


Divulgação


Fernando Lara - Rotas Verdes Brasil


“Estou com grandes expectativas para a minha chegada. Foram grandes os desafios neste percurso e tenho muitas histórias pra contar. Parte destas experiências vou relatar na cerimônia de encerramento dos trabalhos no kartódromo. Nosso livro digital está em fase final de preparação e será uma das maiores obras de relato de experiências com o meio ambiente que este País já viu”, destaca Fernando Lara. Todas as informações do evento estão no site www.rotasverdesbrasil.com.br


Fernando Lara


arara-vermelha - Flona Rio Preto


Litoral capixaba

O expedicionário se encontra no Espírito Santo, o 20º e último estado da expedição. Na região capixaba, a documentação da vida selvagem privilegia duas regiões importantes. A primeira é uma parte preservada da Mata Atlântica na Floresta Nacional de Rio Preto, em Pedro Canário. O local possui grande presença de espécies da avifauna brasileira, entre elas as belas arara-canindé, arara-vermelha, além de do jandaia-cabeça-de-ferrugem.


Fernando Lara


Guicó - Flona do Rio Preto


Uma cena rara de se ver é a presença do guigó, uma espécie criticamente em perigo e um dos primatas mais ameaçados e extinção do continente americano. Também não faltaram registros do simpático tamanduá-mirim, uma espécie que vive de comer formigas e cupins pela floresta.


Já no litoral os trabalhos são realizados neste final de semana em Guarapari, mais precisamente na Ilha Escalvada e no naufrágio do navio Bellucia, há 27 metros de profundidade. A embarcação está embaixo d’água desde 1903. Os registros históricos contam que o navio vinha de Santos (SP) com uma carga de café quando se chocou próximo as Ilhas Rasas. O local é um recife artificial e um dos pontos de mergulho mais procurados em Guarapari.


De volta

Na terça-feira (13) Fernando Lara retorna a Minas Gerais. Os trabalhos serão realizados nas duas unidades de conservação do projeto Preserve Muriqui em Caratinga, ponto referência na preservação dos maiores primatas das Américas. A área será a última a ser registrada pela Rotas Verdes Brasil.


Sobre

A Rotas Verdes Brasil é uma expedição realizada pela Fauna e Flora Documentários em parceria com a concessionária Honda Mavimoto, possui entre os patrocinadores a gráfica ArtPublish e apoio do DIÁRIO DO AÇO.


 


Programação de encerramento da  expedição Rotas Verdes Brasil


 


Data: 17/12 (sábado)

9h00 – Concentração no Posto Rafael na R 458 – próximo a ponte metálica

9h30 – Carreata com Fernando Lara, apoiadores, patrocinadores, Jipe Clube Vale do Aço, clubes de motociclistas da região passando por vários bairros até o Kartódromo de Ipatinga

10h30 – Cerimônia de encerramento das atividades de campo da Rotas Verdes Brasil no Kartódromo (Bar Pit Stop)

Obs: Após a cerimônia, o Bar Pit Stop irá servir almoço com churrasco ao som da Banda Tatu D’ Xuteira


 




 

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO