Vila Militar clama por posto policial

Wôlmer Ezequiel


Vanderson, há 30 anos no Vila Militar, acha importante posto policial no bairro

IPATINGA – Moradores do Vila Militar continuam preocupados com a ausência de um posto policial. Segundo a população, a Polícia Militar alega que o bairro não registra um índice de criminalidade que justifique a implantação da unidade. Recentemente, representantes da Associação de Moradores do Vila Militar (Amovim) se reuniram com a PM para discutir essa proposta, novamente sem êxito.

De acordo com o motorista Vanderson José da Silva, 34, o bairro cresceu de tal forma que exige um policiamento mais efetivo. “Infelizmente, a criminalidade também acompanha o crescimento. Há muito precisamos de um posto policial. Eu mesmo já precisei da ação da polícia em minha casa, recentemente, e a viatura demorou cerca de três horas para chegar. Isso é inadmissível. Se tivéssemos um posto policial o atendimento seria mais rápido”, acredita.

Atualmente, questões de segurança pública referentes ao Vila Militar são atendidas pelo Conselho Comunitário de Segurança Pública (Consep) do Setor 10, que compreende bairros como Bethânia, Taúbas e Vagalume. Como todos os outros Conseps, o do Setor 10 recebe o apoio de comerciantes. Segundo Vanderson, lojistas do Vila Militar chegaram a oferecer ajuda para implantar um Consep local. “A PM disse que a criminalidade no nosso bairro é menor e o Consep do Bethânia é suficiente. Mas discordo dessa avaliação. O fato é que os moradores estão inseguros e clamando por maior assistência da PM. Um dos meus sonhos e de todos os moradores é que tenhamos mais segurança para viver”, completa Vanderson Silva.

Desinteresse
De acordo com o capitão Leôncio Botelho, não está nos planos da PM implantar um posto policial no Vila Militar. “O posto policial se faz necessário em bairros cuja criminalidade é violenta, com ocorrências de homicídios e roubos”, afirma o capitão.

No entendimento de Leôncio Botelho, a falta de participação da população nas reuniões do Consep dificulta uma atuação mais destacada da PM. “Nós sempre convocamos as comunidades para participar de todas as reuniões do Conseps, mas poucos se interessam. É preciso ter consciência de que o trabalho da PM nos bairros depende da participação dos moradores, pois são eles os conhecedores das demandas e podem nos orientar para aprimorarmos a segurança pública”, observa. Leôncio faz questão de convidar a comunidade do Vila Militar para participar de uma reunião do Consep Setor 10, que acontece nesta terça-feira, às 19h30, na Unipac, bairro Bethânia. “Todos os meses nos reunimos com o Consep. O encontro será importante para que os moradores do Vila Militar exponham seus anseios”, enfatiza.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO