Garota é vítima de dengue hemorrágica

Menina de cinco anos não resiste à doença grave e morre no HMC

Divulgação


Pietra sofreu pelo menos três paradas cardíacas antes de falecer

IPATINGA – A dengue hemorrágica, estágio mais perigoso da doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, teria vitimado Pietra Drumond de Oliveira, de cinco anos. Familiares da menina receberam o resultado dos exames do Hospital Márcio Cunha (HMC) por volta das 18h de sexta-feira (11). Pietra, que residia com avós no bairro Bethânia, faleceu na quinta-feira (10), no HMC, por volta das 20h30, após sofrer pelo menos três paradas cardíacas. Ela foi enterrada na tarde de anteontem, no Cemitério Parque Senhora da Paz.
De acordo com a avó de Pietra Drumond, a pedagoga Luiza Araújo de Oliveira, 46 anos, sua neta começou a passar mal na segunda-feira de manhã. No mesmo dia, ela foi submetida a exames na clínica do médico pediatra Luiz Eduardo Calazans, no Centro.

“A Pietra consultou na segunda e na terça pela manhã. Neste período, ela realizou um hemograma completo, para identificar plaquetas, anemia e dengue. O resultado foi normal. Diante disso ela passou a quarta-feira em casa, normalmente. Mas na quinta pela manhã ela teve vômito. Foi quando liguei para o consultório do Luiz Calazans, que estava atendendo no Márcio Cunha. Levei minha neta para o hospital e ela teve de ser prontamente internada. Durante o dia, ela teve umas três paradas cardíacas e não resistiu à noite”, lamentou a avó, que reconhece o esforço da equipe médica. “A assistência médica não deixou a desejar em nada. Enfermeiros e médicos fizeram o que podiam, mas infelizmente a Pietra não resistiu”, disse.

Luiza Araújo afirmou que o óbito emitido pelo HMC apontou que Pietra morreu em virtude de “falência múltipla dos órgãos”. Até a tarde de ontem, ela não estava convicta de que a neta morreu em conseqüência de dengue hemorrágica. “Sei que o médico (Luiz Calazans) informou para uma tia da Pietra que a causa foi dengue hemorrágica, mas ainda não temos um laudo do Hospital Márcio Cunha dando esta confirmação”, comentou a avó.

Resultado
O comerciante João Pires, marido de Nelita Almeida (tia de Pietra Drumond), informou ao DIÁRIO DO AÇO que por volta das 18h de sexta-feira o HMC divulgou o resultado do exame que indicou a causa da morte de Pietra. Segundo ele, foi de fato dengue hemorrágica. “O hospital não teve como informar isso no óbito porque ainda não tinha resultado do exame. O laudo só ficou pronto depois que a menina já havia sido enterrada. O exame apontou que ela morreu mesmo de dengue hemorrágica e o Luiz Calazans confirmou isso à minha esposa”, disse João Pires. Até o fechamento desta edição, o DIÁRIO DO AÇO não conseguiu estabelecer contato com o pediatra Luiz Eduardo Calazans para obter mais esclarecimentos sobre a morte de Pietra Drumond de Oliveira.

Casos aumentam 40%

Já somam 13.122 notificações de casos de dengue em Minas Gerais, conforme boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). Um aumento de 40%, em 10 dias, desde a última atualização dos dados, no início do mês. Coronel Fabriciano aparece em segundo lugar no Levantamento Rápido de Aedes aegypti (LIRAa), com 7,2% de notificações. Em primeiro aparece o município de Ituiutaba, no Triângulo Mineiro, com 9,9% de infestação; e Governador Valadares, com 6%, está em terceiro lugar.

Na próxima terça-feira (15), o secretário estadual de Saúde, Marcos Pestana, participa de uma teleconferência na Gerência Regional de Saúde, em Fabriciano, com o objetivo de chamar a atenção da sociedade para o “Dia de Minas contra a Dengue”. Apesar do aumento da doença, a Vigilância Ambiental da SES assegura que Minas não passa por epidemia e as taxas da doença registradas até o momento são seguras.

Bruno Jackson
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO