Ipatinga atua para resolver problemas do SUS na região

IPATINGA - Em reunião realizada no início da semana na sede da Secretaria de Estado de Saúde, em Belo Horizonte, o deputado Leonardo Quintão e o prefeito Sebastião Quintão apresentaram ao secretário Marcos Pestana algumas sugestões para que o SUS - Sistema Único de Saúde - regularize o débito existente com o Hospital Márcio Cunha.

A primeira proposta é de que seja feito o remanejamento imediato dos recursos já disponibilizados para os municípios que integram a macrorregião, ainda não repassados para o município de Ipatinga.

Outra sugestão é para que se faça uma revisão da PPI (Programação Pactuada e Integrada) de Minas Gerais para as cidades que possuem a gestão plena do SUS, casos de Ipatinga, Juiz de Fora e várias outras no estado, que estão com déficits semelhantes. Em função dessa distorção existente na PPI estadual, segundo os dados apurados pela Prefeitura, Ipatinga é um dos municípios com maior problema no extrapolamento do teto pactuado.

Conforme destaca a secretária de Saúde de Ipatinga, Rozenir Simone de Paula e Souza, “embora exista este débito do SUS para com o Hospital Márcio Cunha, a instituição continua atendendo os pacientes das cidades vizinhas, que não param de chegar”. Ela enfatiza que a situação se agravou a partir da falência dos municípios da macrorregião na assistência hospitalar. “Em conseqüência, o Márcio Cunha, pela sua capacidade e qualidade de atendimento, tem sido sobrecarregado”, afirma a secretária.

Situação estável
Não procede a informação anteriormente divulgada dando conta de que situação financeira do HMC seria “precária”. Na verdade, segundo afirma a secretária municipal de Saúde, o que existe é uma dívida do SUS para com o hospital, que vem se arrastando e aumentando ao longo dos anos, desde 2001. “Não é justo o Hospital Márcio Cunha prestar um serviço pela tabela do SUS e não receber. Portanto, é necessário que todos os municípios que são atendidos pelo HMC se mobilizem para resolver urgentemente a situação e sanar imediatamente o débito para com o Hospital. Como gestor pleno do SUS numa macrorregião que abrange 33 municípios, Ipatinga tem procurado levar sugestões às autoridades estaduais e federais, para que o Sistema Único de Saúde possa pagar o débito existente com o HMC”, acrescentou.

Fundado em 1965, o Márcio Cunha é hoje referência para uma região de 33 municípios, que já se aproxima de 1 milhão de habitantes. Com capacidade instalada de 450 leitos, uma UTI adulto, neonatal e pediátrica e cerca de 219 médicos, que atuam em mais de 30 especialidades, o HMC vem sendo penalizado pelas distorções existentes no próprio SUS.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO