Pedofilia é investigada pela PC

VALADARES - A Polícia Civil de Governador Valadares investiga dois suspeitos de envolvimento com pedofilia. Os agentes cumpriram, anteontem, mandados de busca e apreensão em duas casas, uma no bairro São Pedro e outra no Universitário. Os envolvidos seriam um empresário e um fazendeiro em crimes sexuais contra crianças e adolescentes. Os nomes dos suspeitos não foram divulgados pela polícia, pois o caso tramita em segredo de justiça.

Durante as diligências os policiais apreenderam computadores, fotografias e roupas de crianças, brinquedos, recortes de anúncios de jornal, agendas, CDs e DVDs com conteúdo pornográfico. Todo o material já foi encaminhado para a perícia técnica da PC para análise. O resultado deverá ser divulgado em 30 dias.

A ação contou com a participação de quatro delegados e 15 policiais civis. “Há algumas pessoas sendo investigadas e os mandados estão sendo cumpridos de forma simultânea. Não podemos dar detalhes, porque o processo corre em segredo de justiça”, afirmou o delegado Marcos de Alencar.

Um dos investigados pela polícia é um homem com idade entre 40 e 45 anos. Os policiais cumpriram o mandado depois que um chaveiro conseguiu abrir a porta do apartamento que estava trancada. Farto material foi apreendido, composto por fotos, brinquedos e computadores.

Uma moradora do residencial, onde mora o suspeito, disse que ele gosta de aliciar meninos com idade entre oito e 13 anos para passear de moto num loteamento da cidade. Simultaneamente a este trabalho, a polícia cumpriu o mandado de busca e apreensão em outra residência. Nenhuma pessoa foi presa durante a ação policial.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO