Fogo criminoso destrói loja de som automotivo

Wellington Fred


O comércio no bairro Giovannini foi destruído por completo pelo incêndio na madrugada de ontem

FABRICIANO - A Polícia Civil deve investigar a causa de um incêndio que destruiu por completo a loja Prosound, especializada em som automotivo, na avenida Magalhães Pinto, 582, no bairro Giovannini. A suspeita é que o fogo tenha sido criminoso. Dois carros que estavam dentro da loja foram encontrados encharcados de gasolina. O prejuízo foi estimado pelo comerciante Max Gomes de Almeida, 30 anos, em R$ 200 mil.

O fogo começou por volta de 0h30, quando o Corpo de Bombeiros foi acionado. Nove militares com duas viaturas foram deslocados para o controle e extinção do incêndio, o que ocorreu somente duas horas depois de intenso trabalho. Pelo menos cinco mil litros de água foram utilizados no combate ao fogo. Por sorte, o sinistro não se espalhou para uma drogaria, vizinha à loja de som automotivo.

Havia ainda dois carros de clientes dentro da loja, um Renault Twingo e uma picape Saveiro, retirados do local por populares. O Renault estava encharcado de gasolina. Ainda na manhã de ontem era possível ver e sentir o combustível dentro do automóvel. Max informou que todo o estoque foi destruído. “Me preparei para o período da eleição”, disse, afirmando ainda que possui seguro do imóvel.

Os familiares disseram a uma emissora de rádio que ele estaria sendo ameaçado por policiais militares, fato que foi levado ao conhecimento do comandante da 178ª Companhia Especial, que prometeu apurar. Max tem passagens pela polícia e ficou conhecido ao ser preso pela PM com 108 pedras de crack e um celular dia 30 de setembro de 2005, após o cumprimento de um mandado de busca na casa dele.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO