Rixa termina em assassinato

Uma pessoa é morta e outra é baleada após discussão no Santa Cruz

Reprodução


Denílson, que era conhecido como Frajola, levou três tiros

FABRICIANO – Policiais civis e militares tentam localizar as duas pessoas acusadas de participarem da morte do loneiro Denílson Rodrigues Fernandes, de 18 anos, que era conhecido como Frajola. Também ficou ferido o companheiro da vítima, Silviano Inácio Ferreira Valadares, de 26 anos. O assassinato e a tentativa de homicídio ocorreram na noite de domingo, no bairro Santa Cruz. São procurados pelos crimes Natanael Alves de Abreu, o “Sasá”, de 22 anos, e um adolescente de 17 anos, que já teria praticado um crime no bairro Floresta.

De acordo com dados levantados pela Polícia Militar, o assassinato aconteceu por volta das 20h30, no momento que Silviano e Frajola estavam sentados na porta do bar do Raimundo. Os acusados chegaram atirando em direção às vítimas, que tentaram se salvar correndo para dentro do estabelecimento comercial. Mas elas foram perseguidas pelos agressores e atingidas quando procuravam se refugiar no banheiro do bar.

Os dois suspeitos desapareceram logo em seguida. Testemunhas alegaram que o menor portava um revólver calibre 22 e o adulto uma arma de fogo calibre 38. A motivação pode estar relacionada a um problema com drogas, como denunciaram várias pessoas à Polícia Militar.

Socorro
Populares socorreram os dois feridos ao Hospital Siderúrgica. Mas Frajola não sobreviveu. Seu companheiro, Silviano, ficou internado em observação. Ele levou quatro tiros: peito, braço direito e um em cada coxa. O corpo de Frajola foi removido ao Instituto Médico Legal (IML) de Ipatinga no início da manhã e liberado para a família providenciar o enterro. O exame de necropsia revelou que Frajola levou três tiros: um nas costas que saiu no peito, outro na coxa direita e um no braço esquerdo.

Discussão
A polícia apurou que no sábado houve uma discussão entre os suspeitos e a vítima Silviano. Essa suspeita também foi confirmada pelos familiares de Frajola, na rua Havaí, distante 40 metros do bar onde ocorreu o crime. “Não sei direito, ficamos sabendo por alto, mas houve uma briga de Silviano. Nem sabemos o que ocorreu direito”, disse Demius Rodrigues Fernandes, 22, irmão de Frajola.

Separado da mãe da vítima, o pai Tarcísio Lorentino Fernandes, 47 anos, estava aguardando o corpo do filho chegar para ser velado. Ele veio de Governador Valadares e pediu justiça. “Estamos todos numa situação difícil. Conheço o outro baleado e um dos autores que atiraram”, lamentou Tarcísio em conversa com o DIÁRIO DO AÇO.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO