Caseiro é executado com tiro e facadas

Wellington Fred


Orlando foi encontrado morto atrás da cama, com as pernas e braços amarrados

PARAÍSO - Em 12 horas de trabalho de rastreamento e muito empenho dos policiais civis e militares do Grupo Integrado de Intervenção Estratégica (GIIE), o ajudante Daniel Nunes de Oliveira, o “Alemão”, 23 anos, foi preso acusado de matar a tiro e facadas o caseiro Orlando José de Godoy, 59 anos, na madrugada de ontem. O crime ocorreu na chácara onde a vítima trabalhava no Córrego do Pompéu, zona rural de Santana do Paraíso. Daniel foi preso na tarde de ontem na Estação Ferroviária de Ipatinga, quando tentava embarcar para o Espírito Santo.

Nos primeiros minutos de ontem a Polícia Militar recebeu denúncia de que Daniel foi visto chegando à casa da sogra sujo de sangue, quando comentou que tinha matado um homem e iria fugir. Os militares foram até o local do crime e encontraram a residência com as janelas e portas abertas. Na varanda havia muito sangue em direção à porta. Ao entrarem na casa, acharam a vítima com os braços e as pernas amarrados no quarto, em meio a uma poça de sangue.

Os policiais verificaram que a vítima já estava sem vida e notaram vários móveis revirados, sugerindo ter havido uma luta, além de marcas de tiros de chumbeira na porta. O perito Roberto foi acionado, constatando que Orlando foi morto com um tiro na testa que arrancou-lhe parte do couro cabeludo, além de ser degolado e apresentar sinais de vários golpes de faca. O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) de Ipatinga para ser necropsiado.

O cabo Danir conseguiu localizar as possíveis armas usadas no crime: um facão sujo de sangue e uma arma de fogo caseira do tipo polveira, que teria estourado ao ser disparada, pois o cano estava retorcido. Com as pistas, várias equipes da PM e também policiais civis saíram em busca ao acusado pelo crime, que desapareceu após passar na casa da sogra.

Wellington Fred


Daniel Alemão confessou o crime e disse que o disparo foi acidental
Daniel acabou sendo localizado por volta do meio-dia, no terminal ferroviário de Ipatinga. Ele estava com uma bolsa e preparava-se para embarcar no trem com destino a Vitória/ES, cidade onde mora a mãe do acusado. Os policiais apuraram que o rapaz tinha um mandado de busca e apreensão expedido contra ele pela Justiça de Governador Valadares, onde Alemão responde por um crime de homicídio ocorrido há quatro anos.

Autuado
Encaminhado à delegacia de Santana do Paraíso, Alemão foi autuado pela delegada Amanda Sfredo Martins. Os policiais vão investigar em quais circunstâncias ocorreu o assassinato de Orlando. “Atirei nele durante uma discussão, pois ele segurou o cano da arma”, disse Alemão ao DIÁRIO DO AÇO. Suspeita-se, porém, que o crime tenha sido motivado por um roubo, fato que será analisado pelos policiais civis. Ele foi recolhido ao Ceresp de Ipatinga após prestar depoimento.

A sobrinha de Orlando, Cleldeniza de Godoy Rodrigues, 21 anos, que providenciava a liberação da documentação de óbito, disse que o tio trabalhava na chácara havia cerca de um ano. O corpo do caseiro foi encaminhado para Santana de Alfié, onde residem seus familiares e onde ele será sepultado no cemitério local na manhã de hoje. A vítima era separada e deixou quatro filhos.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO