Homem tem 50% do corpo queimado

Reprodução


Parte da casa de Milton Geraldo foi destruída pelas chamas

PARAÍSO - O ajudante Milton Geraldo da Silva, de 45 anos, foi internado, anteontem, no Hospital Márcio Cunha, com cerca de 50% do corpo queimado. Ele foi agredido e teve a casa, na rua Cléria Ribeiro, no bairro Industrial, incendiada por quatro pessoas em um sinal de vingança. Dois suspeitos foram presos: Marlon Antônio de Paula, 19, e Fabrício Santos Pereira, 28 anos. Outro terceiro foi identificado como Edmundo José dos Santos, 26.

A doméstica Márcia Aparecida Batista da Silva, de 30 anos, contou que, por volta das 22h, quatro pessoas encapuzadas invadiram sua casa. “Eles estavam procurando meu cunhado e como não acharam, disse que meu marido serviria”, contou a mulher, assustada. Ela disse ainda que o prejuízo em sua casa foi grande. “Nem terminei de pagar a geladeira”.
Além de agredir Milton, os invasores atearam fogo na casa. Ainda há suspeita que eles tenham disparado um tiro contra o televisor da casa. Márcia e a filha de oito anos conseguiram sai ilesas. Milton foi retirado pelos bombeiros com queimaduras pelo corpo e encaminhado para o Hospital Márcio Cunha.

Prisões
Os agressores ainda foram para a residência de Dirce Garcia Batista, de 20 anos, na rua João Borges, nas proximidades da casa do cunhado dela. Eles tentaram agredir a mulher, mas como ela começou a gritar por socorro, o grupo fugiu. A PM realizou buscas e prendeu Marlon e Fabrício como suspeitos do crime. Eles foram encaminhados ao plantão da 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil (DRPC) de Ipatinga.A motivação de tanta confusão seria uma rixa antiga por causa de uma dívida de sinuca. Dias atrás, o cunhado de Milton, Wellington Fernando Batista, de 23 anos, conhecido como Lico, foi esfaqueado pelo mesmo motivo, conforme a Polícia Militar.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO