Pintor pega seis anos no regime semi-aberto

IPATINGA - O pintor Juerci Celestino Lima, de 52 anos, foi condenado à pena de seis anos de prisão por homicídio ocorrido em 5 de julho de 1997, que teve como vítima Eli Valério, de 42 anos. O fato ocorreu na avenida Londrina, no bairro Veneza. Os dois bebiam juntos e discutiram na saída de um bar. Eli foi esfaqueado e levado ao Hospital Márcio Cunha, onde acabou morrendo dias depois.

Juerci foi preso pelo cabo Geraldo Aurino dos Santos Silva, que mora nas proximidades do local onde ocorreu a agressão. O pintor foi autuado em flagrante por tentativa de homicídio, porém teve a denúncia transformada em crime de homicídio simples após a morte de Eli. O réu não compareceu ao julgamento e teve sua prisão decretada pela Justiça.

O Tribunal do Júri foi presidido pelo juiz Antonio Augusto Calaes de Oliveira, titular da 2ª Vara Criminal de Ipatinga. O réu foi defendido pelo advogado João Pereira da Silva, alegando a tese de legítima defesa. No entanto, o Conselho de Sentença manteve a acusação feita pelo promotor Rafael Pureza. O juiz sentenciou o pintor a seis anos de prisão no regime semi-aberto pelo crime de homicídio simples. Ele pode recorrer da decisão.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO