Mulher pode ter engolido crack antes de morrer

TIMÓTEO - A Polícia Civil vai analisar uma estranha morte ocorrida no fim de semana, até o momento, misteriosa. Delzenir Júlia da Silva, de 34 anos, morreu ao dar entrada no Hospital Vital Brazil na noite de sábado. A primeira suspeita é de que ela tenha morrido ao engolir uma porção de crack durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão pela PM. A droga teria sido dada pelo marido dela, Luciano Alex da Rocha, de 26 anos, o “Balú”. No local, foram presas a mãe da vítima, Maria de Jesus Pinto, 59 anos, e a irmã Nívea Miranda de Jésus, 30, com pedras de crack.

A abordagem à casa dos suspeitos ocorreu no fim da tarde de sábado, na rua Governador Valadares, no Centro-Sul de Timóteo. No momento da abordagem, a dona de casa Maria de Jesus teria tentado dispensar uma bucha com sete pedras de crack. Os policiais encontraram ainda uma pedra de cinco gramas em um vaso de flores. A mãe Maria de Jesus e a filha Nívea foram presas e encaminhadas para a delegacia de Timóteo, autuadas pelo delegado de plantão Astrogildo Valério.

Cerca de uma hora depois da saída dos militares, Delzenir começou a passar mal e foi encaminhada ao hospital. Ao dar entrada, ela teve uma parada cárdio-respiratória. O filho dela contou que o padrasto, Luciano Balú, teria forçado a mãe a engolir uma pedra de crack pesando cerca de 25 gramas. Os médicos tentaram reanimá-la por até 50 minutos, mas sem sucesso nas manobras.

O corpo da mulher levado para o Instituto Médico Legal de Ipatinga, onde não se conseguiu apurar a real causa da morte, pois teria havido uma lavagem estomacal na vítima durante os trabalhos dos médicos na tentativa de salvá-la, o que prejudicou uma conclusão. Os legistas informaram que partes das vísceras foram retiradas para o envio ao Instituto de Criminalística da Polícia Civil, em Belo Horizonte.

O delegado Francisco Pereira Lemos informou no fim da tarde de ontem ao DIÁRIO DO AÇO que vai analisar todo o procedimento a respeito do caso. Ele adiantou que o caso é bastante complexo e que o laudo do IML será determinante.

Maconha
Na madrugada de domingo, policiais militares apreenderam drogas na rua Araguaia, no bairro Universitário, em Coronel Fabriciano. A PM abordou o acusado Emerson Rodrigues, de 18 anos, que estaria portando uma sacola com 85 gramas de maconha. O rapaz estava em companhia de uma outra pessoa que fugiu ao notar a presença dos policiais. Emerson foi conduzido para a delegacia de Coronel Fabriciano.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO