Pedreiro morre ao cair de escada

Wellington Fred


PM e perícia da Polícia Civil fizeram os primeiros levantamentos no local do acidente

IPATINGA - Encontrado na manhã de ontem, caído no quintal da casa de número 79 da rua Um, no bairro Planalto, o corpo de Manuel Matuzinho da Silva. Ele morreu após uma queda da escada na parte externa da residência, onde utilizava o terraço para dormir. Manuel Hospital, como era conhecido, tinha problemas com o álcool e possivelmente desequilibrou-se da escada.

O corpo foi encontrado por volta das 6h. Algumas pessoas chegaram a pensar que ele estava dormindo. O perito Gilmar Miranda realizou os trabalhos periciais no local e autorizou a remoção do corpo para o Instituto Médico-Legal de Ipatinga.

Os legistas constataram que os ferimentos foram mesmo decorrentes de uma queda. Como ninguém da família apareceu com documentos para reclamar o corpo, ele ficou na câmara fria do IML de Ipatinga.

A vítima morava sobre a casa do aposentado João Leandro da Silva, 81 anos, que comprou o imóvel de Manuel Hospital. “Após um tempo, ele ficou sem lugar para morar, então resolvi deixá-lo ficar no terraço. Era melhor que dormir na rua, no sereno. Apesar disso, nunca me deu problema, chegava e ia dormir”, conta o aposentado.

Atleta
Várias pessoas só falaram bem da vítima, que foi um dos primeiros fundadores e atleta do Esporte Clube Beira-Rio, agremiação de futebol amador tradicional de Ipatinga. “Conheço ele desde minha infância. Era muito trabalhador e querido no bairro. Todos aqui conheciam o Manuel desde quando morávamos na rua do Buraco”, disse Edvalson ‘Vavá’, presidente do Beira-Rio.

É no futebol amador que Manuel Matuzinho ganhou o apelido de Manuel Hospital. “Ele era zagueiro e, atacante que tentasse passar por ele, mandava para o hospital. Por isso o Manuel Hospital, mas era uma boa pessoa, trabalhadora e que só queria o bem de todos aqui”, recorda o dirigente.

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO