PF apreende remédio para emagrecimento

SÃO PAULO (AE) - Ontem, a Polícia Federal (PF) apreendeu em São Paulo 5 mil frascos de Emagrecesim, medicamento ilegal conhecido como pílula brasileira de emagrecimento, que supostamente seriam exportados para países como Estados Unidos, Venezuela, Panamá, Costa Rica, Espanha, Inglaterra, Canadá e Peru.

Junto com o carregamento foi preso o empresário Ivo Franco, dono de uma transportadora e acusado de ser o responsável pela exportação do produto.

Em Contagem (MG), os agentes da PF desativaram uma fábrica clandestina onde seria produzido o remédio. No local, foram detidas oito pessoas de uma mesma família: Mirian, José Carlos, Daniel, Denny, Cleusa e Nivia Bomfim, acusados de levar o Emagrecesim para São Paulo e Roraima, onde foi preso outro integrante do grupo, identificado como Anderson. Ele venderia o produto para dois clientes na Venezuela, segundo o delegado Alexandre Chaves, que coordenou a ação batizada de Operação Vênus.

Foragida
O grupo, informou, era comandado pela empresária Claudina Rodrigues Bomfim, ainda foragida. “Ela recebia 90% dos lucros obtidos com as vendas”, disse o delegado. Na casa dela, acrescentou, foram encontradas obras de arte avaliadas em R$ 2 milhões e que teriam sido adquiridas com o dinheiro do tráfico.

Claudina Bomfim é acusada de formação de quadrilha, tráfico internacional de drogas, falsificação de medicamentos, fabricação de medicamentos sem autorização dos órgãos sanitários e de lavagem de dinheiro. A soma das penas pode chegar a 43 anos, segundo Chaves.

Perigo
Em nota, a PF alerta que estudos médicos apontam o perigo do uso indiscriminado do Emagrecesim, comercializado como produto fitoterápico, mas que pode provocar “agitação, insônia, irritação, ansiedade e náuseas, dentre outros efeitos colaterais”.
Também participaram da investigação agentes da Vigilância Sanitária Estadual de Minas Gerais e integrantes do órgão sanitário federal e de combate ao tráfico de drogas dos Estados Unidos.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO