Família de mulher baleada quer ajuda

Wellington Fred


Neusa ganhou alta médica na semana passada e está se recuperando em casa

FABRICIANO - A família de Neusa Cristina de Paula, de 35 anos, quer ajuda para se recuperar do tiro disparado por um sargento da PM na tarde do dia 31 de agosto. A vítima, que sofre de depressão pós-parto, teria tentado agredir o policial militar Edson Borges, de 47 anos, com um facão, na rua Padre Américo, no bairro Santo Antônio. Para se defender, o militar efetuou um tiro que acertou o lado direito do peito da mulher.

Ela ganhou alta médica na semana passada e está se recuperando em casa. Os familiares de Neusa reclamam que não estão recebendo ajuda de ninguém. A cunhada de Neusa, Sara de Luzia Pereira de Paula, 31 anos, disse que houve promessa de assistência social. “Mas nada até agora. Nem o exame de corpo delito minha cunhada fez”, informou.

O caso é apurado pela tenente Carla, da 178ª Companhia Especial, em um Inquérito Policial Militar (IPM). Segundo informações apuradas, o sargento teve que agir rápido porque o companheiro dele de viatura não conseguiu pegar o bastão de madeira que estava em poder de Neusa. A mulher partiu para cima do sargento, que deu um primeiro tiro. Como continuou andando em direção ao militar, ele disparou um segundo tiro que acertou o peito dela.

Neusa apresenta problemas psiquiátricos adquiridos após depressão pós-parto. Ela teria se armado com um facão e se dirigido para a rua, ameaçando as pessoas que passavam pelo local. Após o incidente, Neusa foi socorrida pelos militares na viatura e internada no Hospital Siderúrgica, onde foi constatado que o projétil transfixou o corpo da dona de casa. Revoltada, a família quer a devida apuração do caso.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO