Polícia ainda sem pista de execução na Grota

“Alemão” morreu com oito tiros de pistola semi-automática

Wellington Fred


Alemão estava sentado num dos bancos da praça quando foi executado

IPATINGA - A Delegacia Adjunta de Crimes contra a Vida (DACcV) está com novo procedimento investigatório para apurar outra execução misteriosa em Ipatinga. O pedreiro Gilberto Saraiva Martins, o Alemão, de 34 anos, morreu com oito tiros de pistola calibre 380, na noite de quinta-feira, numa praça da rua Aracaju, no bairro Jardim Panorama. O autor deste crime mais uma vez é um motoqueiro não identificado, que fugiu num veículo de cor escura.

Gilberto Alemão fumava sentado num dos bancos da praça existente ao lado de uma quadra de esportes na rua Aracaju, na região conhecida como Grota do Panorama. Testemunhas contaram que, por volta das 21h30, chegou uma pessoa alta, morena e forte numa motocicleta com placa finais 6543. O desconhecido sacou uma pistola semi-automática e abriu fogo contra a vítima, que morreu no local.

O assassino saiu em alta velocidade na motocicleta, sem ser localizado. A PM foi acionada, mas não teve êxito na abordagem ao pistoleiro. No local, os peritos apreenderam nove estojos deflagrados de pistola calibre 380, conforme informou o cabo Gelvano, que registrou a ocorrência. “Tinha muitas pessoas próximas daqui e apenas ele foi alvejado pelos tiros”, ressaltou o militar.

Passagens
Em conversa com o DIÁRIO DO AÇO, a irmã de Gilberto, a vendedora Judith Alves Martins, de 44 anos, confirmou que a vítima tinha passagens pela polícia e que, inclusive, pagou pena na Penitenciária Francisco Floriano de Paula, no distrito de Pacas, em Governador Valadares. “Mas nos últimos dias, ele estava tranqüilo, trabalhando. Não demonstrava medo de alguém ou de alguma coisa”, informou Judith.

Reprodução


Alemão já havia cumprido pena na Penitenciária de Pacas, em Governador Valadares

Testemunhas apontaram que era um homem alto, forte, o autor da execução e que saiu em alta velocidade. O corpo da vítima foi encaminhado ao IML de Ipatinga após os trabalhos dos policiais civis Margarete e Gilmar no local do crime.  O laudo dos legistas aponta que Alemão morreu com quatro tiros na cabeça, dois nas costas, um no peito e outro no braço esquerdo, de arma semi-automática.

O corpo dele foi velado na casa dos familiares, na rua Serra Negra, bairro Jardim Panorama, e enterrado no fim da tarde de ontem, no cemitério Parque Senhora da Paz, no bairro Veneza II. Edmar deixou oito filhos com três mulheres diferentes e ainda um recém-nascido portador de deficiência física, conforme informaram os familiares.

Homicídios assustam os moradores do Panorama

A morte de Gilberto Saraiva Martins, o Alemão, aconteceu exatamente uma semana após outra praticada de forma igual e na mesma área, com a diferença de uma rua. O vendedor Eduardo Luiz da Costa, de 41 anos, foi executado com seis tiros de pistola semi-automática no dia 17, quando retornava de uma academia de ginástica. A vítima foi morta a 50 metros de casa, na rua Serra Negra.

Eduardo Luiz foi morto por um homem numa motocicleta de cor escura, possivelmente verde. Pessoas que não quiseram se identificar informaram ao DIÁRIO DO AÇO, na época da morte do rapaz, que Eduardo devia US$ 10 mil a um ‘coiote’ que o levou para os Estados Unidos. A vítima estaria se recusando a pagar o débito porque acabou deportado poucos meses depois de dar entrada nos EUA.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO