Quando a poesia toca a alma...

Café Literário reúne alunos e escritores regionais no Colégio Angélica

Divulgação


Professores, escritores e alunos se envolveram no projeto cultural no Angélica
Os alunos do Ensino Médio do Colégio Angélica, em Coronel Fabriciano, realizaram recentemente um Café Literário com a participação de todos os alunos do ensino médio e do ensino fundamental II, em evento coordenado pela professora Elis Regina (Português do Ensino Médio), e com o apoio da professora Mara Rúbia, de História e Arte.

Vários estudantes mostraram seu talento musical e literário. A poesia se fez presente em declamações e encenações que encantaram a todos.

Divulgação

Carlos Drumond de Andrade, Cecília Meireles, Vinícius de Moraes, Ferreira Gullar e Antero de Quental, entre outros, desfilaram seus poemas na voz e na expressão artística dos alunos do Angélica, e as colunas do Ginásio Coberto traziam fotos e poemas desses grandes literatos.

Zarife Selim de Salles e Vinícius Siman, escritores e poetas do Vale do Aço, estiveram presentes no Café Literário como convidados especiais.

Divulgação

Zarife integra os quadros da Academia de Letras de Ipatinga e é autora de nove livros publicados. Vinícius Siman, também com nove livros publicados, é romancista, crítico de arte e diretor de teatro.

Além de prestar-lhes merecida homenagem, os alunos puderam conhecê-los e entrevistá-los.

“A arte existe porque a vida não basta”, ensina o poeta Ferreira Gullar. Em sua mensagem de apoio ao Café Literário, o diretor da escola, professor José Amilar da Silveira, disse: “Quando os jovens convivem com a poesia, quando colocam a poesia na alma e no coração, é sinal de que a vida tem cores e que o mundo futuro pode ser bem melhor”.

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Gildázio Garcia Vitor 02 de outubro, 2016 | 09:32
Parabéns aos Professores e alunos dessa tradicional e respeitada Instituição fabricianense que, apesar dos reveses enfrentados nos últimos anos, continuam acreditando que "Tudo vale a pena quando a alma não é pequena". Para o Professor José Amilar da Silveira, que foi meu Diretor no Colégio São Francisco Xavier e é uma das personaliades mais respeitadas do nosso Vale do Aço, ofereço esses versos do grande Thiago de Mello: "Na fogueira do que faço// por amoor me queimo inteiro". Professor, continue nos ensinando a inventar um chão onde os nossos sonhos, principalmente os dos jovens, irão florescer. Obrigado por todas as lições.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO