Lei mineira de defesa vegetal protege as lavouras há 11 anos

Divulgação/ACS IMA


Os cafezais mineiros evoluíram em qualidade após a adoção da lei
A Lei Estadual 15.697, que dita as normas de execução da defesa sanitária vegetal em Minas Gerais, completou 11 anos recentemente. Desde 25 de julho de 2005 a lei respalda o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) como o órgão responsável pelas ações que objetivam prevenir e evitar a introdução e a disseminação de pragas de vegetais em território mineiro. Com isso, busca-se assegurar a qualidade e a sanidade das lavouras e a oferta de alimentos de origem vegetal saudáveis para a população.

As ações de fiscalização, inspeção e certificação realizadas pelo IMA têm sido fundamentais para que Minas Gerais mantenha seu status de importante celeiro da agricultura nacional. O estado é o principal produtor nacional de café, com 58% da produção, e ocupa os primeiros lugares também na produção de batata (34,7%) e do alho (40,3%). É o segundo maior produtor de feijão (17,2%), sorgo (26,2%), limão (10%) e abacate (26,3%).

O diretor-geral do IMA, Marcílio de Sousa Magalhães, diz que a Lei criou o arcabouço legal que deu aos servidores do IMA a segurança para realizarem um trabalho qualificado e comprometido com a saúde das lavouras e dos produtos de origem vegetal. “Esse trabalho tem contribuído para que Minas Gerais se mantenha como importante produtor de alimentos para o próprio estado e para o país”, concluiu.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO