24/11/2018 11:34:00

Campeão à vista

Fernando Rocha



Divulgação

Não foi na ultima quarta-feira, mesmo que o Palmeiras tenha goleado o América por 4 a 0, com direito a um show de Dudu, o melhor jogador deste Brasileirão muito pobre em qualidade técnica.

Mas deve ser hoje que ouviremos o grito de “É campeão!”, quando o time paulista irá visitar o desesperado Vasco da Gama, que luta novamente para escapar do rebaixamento.

Enquanto isso, o Flamengo, único ainda com remotas chances de melar a festa palmeirense, depois de ganhar do Grêmio por 2 a 0, terá uma missão muito mais difícil no Mineirão, contra o Cruzeiro, que promete usar todos os principais jogadores.

Como faltam duas rodadas, seis pontos ainda a serem disputados, cinco separando o líder Palmeiras do vice Flamengo, tudo indica que a taça de campeão ficará mesmo nas mãos do alviverde paulista, que, se em campo não apresenta um futebol de encantar, também não é daqueles de dar calo nas vistas.

Só mesmo um milagre, um aborto da natureza, para dar o título ao Flamengo. Só uma zebra do tamanho de um elefante para tirar a taça das mãos do Palmeiras.

Mudou de lado
A grande novidade na vitória do Galo sobre o Internacional, na última quarta-feira, em Porto Alegre, foi que a sorte - ou o vento - parece ter mudado de lado.

Até então, o normal vinha sendo o Atlético levar gol nos acréscimos, a defesa vacilar, entregar a rapadura nos instantes finais da partida, e não o contrário, como aconteceu, de sair o gol nas mesmas circunstâncias, só que desta vez a seu favor, levando-o à vitória.

O técnico Levir Culpi tem usado toda a sua vasta experiência e boa conversa, que atualmente é uma das principais características de seu trabalho, para dar um mínimo padrão tático à equipe, conseguindo fazer com que os jogadores se entreguem mais, com raça e determinação, enfim, nas últimas três partidas que o time obteve três vitórias consecutivas, e foi com a cara do Galo.

Cazares é um capítulo à parte, pois vários treinadores que passaram recentemente pelo clube tentaram, mas parece que só Levir Culpi está conseguindo fazer com que este equatoriano bom de bola deixe de ser “vagalume” e mostre seu futebol de técnica apurada em toda a plenitude.

Independente do resultado de ontem contra o Santos, na Vila Belmiro, o Atlético só depende de si mesmo para voltar à Copa Libertadores em 2019, sonho de consumo da sua torcida.

FIM DE PAPO
A goleada de 3 x 0 sobre o Vitória deu ainda mais tranquilidade ao Cruzeiro, que hoje se despede da sua torcida no Mineirão, recebendo o Flamengo. Fred deitou e rolou em cima da fraca defesa baiana, fazendo dois gols e readquirindo a confiança necessária para brilhar novamente com a camisa celeste na próxima temporada.

Pior para o Flamengo, que precisa da vitória para seguir sonhando com o título. O Cruzeiro vai entrar muito forte e querendo vencer, pois quase todos os titulares estarão à disposição do técnico Sidnei Lobo, inclusive Dedé e Arrascaeta, que estiveram ausentes dos dois últimos jogos por estarem servindo, respectivamente, as seleções do Brasil e Uruguai.

Por ironia do destino, o América faz hoje um jogo decisivo para definir sua permanência na Série A contra o Bahia, dirigido pelo seu ex-técnico, Enderson Moreira, que deixou o clube repentinamente no meio do ano para comandar o tricolor baiano, sendo muito criticado por isso.

A matemática do Coelho para escapar da degola é simples: tem que vencer o Bahia hoje no Estádio Independência, e tem que vencer o Fluminense na última rodada, fora de casa. Assim chegaria a 43 pontos ganhos e escaparia do pior na tábua da beirada.

É fato que treinador de futebol, sobretudo quem está à frente de grandes clubes no futebol brasileiro, é um dos profissionais mais bem remunerados que existe neste país. Mas também é um dos que sofrem uma enorme carga de tensão emocional por conta da cobrança de resultados.

São muitos exemplos, como o de Telê Santana, que não sobreviveram às pressões. Outros, para evitar o pior, interromperam a carreira, como Muricy Ramalho, hoje comentarista no Sportv, e Ricardo Gomes.

Agora foi a vez do técnico Cuca, 55 anos, do Santos, que sofreu um infarto durante o jogo contra o Cruzeiro, no Mineirão. O problema se agrava mais em razão de Cuca ter na família um histórico de problemas cardíacos.

Vai ter que deixar por algum tempo a profissão de lado para tratar da saúde, assim como fez recentemente Mano Menezes, técnico do Cruzeiro. Tomara que volte logo, mas a saúde deve ser prioridade e estar em primeiro lugar, principalmente para quem já está com o burro na sombra há muito tempo, como é o caso dos nomes citados acima.

E o futebol mineiro perdeu mais uma de suas figuras históricas. Na última quarta-feira, foi sepultado em Belo Horizonte Luiz de Matos Luchesi, o Mussula, ex-goleiro de Atlético, Cruzeiro, América e Villa Nova, que nos deixou aos 80 anos. Tive o prazer de conhecer Mussula pessoalmente, quando era funcionário do setor administrativo do Galo.

Homem simples e muito educado. Não o vi atuar, mas me lembro das narrações épicas de Jota Junior pelas ondas curtas da Rádio Guarani/BH, gritando “defendeuuuu Mussula”. Era o fim da década de 1960, e o Galo, embora tivesse uma boa equipe, perdia sempre para o timaço do Cruzeiro de Tostão e Cia., mas Mussula era muito elogiado pelas grandes atuações e por ser um dos melhores em campo. Vai com Deus, Mussula! (Fecha o pano!)


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário