04/11/2018 06:24:00

Câncer de próstata é a neoplasia mais incidente entre os homens brasileiros

INCA estima 68.220 novos casos da doença em 2018, correspondendo a 66 novos casos a cada 100 mil homens



FreePik


Nos estados, a estimativa de incidência para os dois anos é maior em São Paulo, com 14.890 casos

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima 68.220 novos casos de câncer de próstata no Brasil em 2018, correspondendo a 66 novos casos a cada 100 mil homens. A maioria destes pacientes se concentra nas regiões Sul e Sudeste do país. Para o ano de 2019, a previsão é a mesma. Nos estados, a estimativa de incidência para os dois anos é maior em São Paulo, com 14.890 casos, seguido do Rio de Janeiro (6.950), Minas Gerais (6.730) e Rio Grande do Sul (6.210). É ainda, segundo dados da mesma instituição (2011), a segunda neoplasia em número de óbitos, atrás somente do câncer de pulmão – um óbito a cada 39 minutos.

Dados globais publicados em 2015 sobre as características epidemiológicas das neoplasias malignas em 188 países enfatizam a importância do câncer de próstata como causa de morbidade. No sexo masculino, ele foi o mais comum nos homens: 1,4 milhões. De acordo com dados brasileiros incluídos no estudo (Centro de Epidemiologia da Universidade de São Paulo, com dados de 11 grandes centros no país), a doença disparou 414% entre 1990 e 2013 no país.

Com o objetivo de alertar e informar os homens sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce e tratamento da doença, o mês de novembro foi escolhido como período de apoio à conscientização da saúde masculina e arrecadação de fundos para as instituições que apoiam o tratamento da doença. Se trata da campanha Novembro Azul.

O câncer de próstata na sua fase inicial não apresenta sintomas. Geralmente, estes aparecem quando a doença evoluiu para um estágio avançado e grave. Segundo o médico urologista do Biocor Instituto, Lucas Nogueira, a doença inicia silenciosamente, por isso, é difícil prever o diagnóstico. “É muito importante conscientizar-se sobre a doença e fazer o diagnóstico na sua fase localizada, quando as chances de cura são grandes. É importante ressaltar que o diagnóstico do câncer de próstata não significa que o homem precisa ser imediatamente tratado através de cirurgia ou radioterapia. Muitos casos podem ser seguidos de perto, sem intervenção, o que chamamos de vigilância ativa”, relata.

A próstata é uma glândula localizada na pelve masculina com a principal função de produzir o líquido seminal. O câncer de próstata é uma doença onde as células da próstata podem sofrer modificações e se multiplicarem de forma descontrolada, podendo avançar e atingir outros órgãos, localmente ou à distância. A real causa desta neoplasia ainda é desconhecida.

Entretanto, já se sabe que ele é originado de desequilíbrios genéticos que causam alterações moleculares responsáveis pelo seu desenvolvimento. Fatores ambientais podem estar também envolvidos, causando o desencadeamento ou aceleração deste processo. Um em cada seis homens desenvolvem a doença no decorrer da vida. Homens com história de câncer próstata na familiar e aqueles da raça negra apresentam risco ainda maior.

Dr. Lucas Nogueira, ressalta que alguns hábitos são aconselhados para diminuir o risco de desenvolver a doença. São eles: manter uma dieta saudável, rica em frutas, verduras, grãos e cereais, evitando gorduras, principalmente, as de origem animal. Realizar atividades físicas, manter o controle do peso, diminuir o consumo de álcool e não fumar. “Não há uma maneira de se tornar imune à doença, por isso é importante que a avaliação através de exames laboratoriais e toque retal sejam feitos periodicamente, aumentando assim, as chances de cura do paciente”, esclarece o urologista.

Os sintomas mais comuns na fase mais avançada da doença estão relacionados ao ato de urinar, pois a próstata envolve a uretra. Dessa forma, os principais sintomas na fase tardia da doença são: urinar frequentemente ao longo do dia, inclusive voltando ao banheiro poucos minutos após ter urinado; dificuldade em iniciar e manter um jato contínuo; sangue na urina; dor e esforço para esvaziar a bexiga.

Mais raramente a doença pode causar também dificuldade de ereção e dor na ejaculação. Se o câncer de próstata se espalhar, outros sinais podem surgir, como dores nas costas, costelas e quadril (sugerindo câncer nos ossos). Anemia, fadiga e dor generalizada podem indicar estágios mais avançados da doença. Nessa fase também pode ocorrer obstrução do fluxo urinário, com consequente perda da função renal.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Reação dos Leitores





Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário