06/10/2018 09:51:00

Sacode a poeira

Fernando Rocha



Divulgação

Não deu para o Cruzeiro, que foi eliminado da Copa Libertadores pelo Boca Juniors. Todos sabiam que não é fácil derrotar o Boca, em qualquer lugar, ainda mais por uma diferença de dois gols ou mais, por isso o Mineirão, transformado num mar azul por cerca de 60 mil cruzeirenses, não foi suficiente para intimidar os portenhos.
Vários fatores foram, a meu juízo, preponderantes para o fracasso do time de Mano Menezes, entre eles o grande número de passes errados, certamente motivados pela ansiedade e nervosismo demonstrado pelos jogadores em campo.

No pós-jogo, ouvimos declarações infelizes e intempestivas do presidente Wagner Pires, além da já famosa falta de educação de um contumaz mau perdedor, o técnico Mano Menezes, irritado com um repórter que perguntou se agora seria “obrigação ganhar a Copa do Brasil”, em razão do sonho do tri na Libertadores ter acabado.

Como as imagens da TV são frias e não mentem, cabe dizer que o árbitro uruguaio Andrés Cunha não interferiu diretamente no resultado e acertou todos os lances polêmicos questionados pelo Cruzeiro, como no gol de Barcos nos acréscimos do primeiro tempo, anulado devido a uma falta clara feita no goleiro pelo zagueiro Dedé, cuja expulsão também foi justa, além do pênalti em Arrascaeta, marcado e depois revisto, pois Barcos estava em impedimento no início da jogada.

O assoprador de apito errou sim, ao não coibir a cera dos argentinos, sobretudo do goleiro Rossi, mas isso aí só se resolve com bolas na rede adversária, o que faria desaparecer imediatamente toda a catimba.
Valeu a luta dos jogadores, valeu a presença da torcida e o seu apoio mais uma vez. Agora é vida que segue, como diz a letra do clássico ”Volta por Cima”, samba de Paulo Vanzolini: “Reconhece a queda / e não desanima / Levanta, sacode a poeira / E dá a volta por cima”.

Hora de avançar
O Atlético iniciou, a partir do jogo de ontem com a Chapecoense, em Santa Catarina, uma sequência de quatro partidas contra adversários que estão abaixo na tabela – depois vai pegar o América, em Beagá, Fluminense e Ceará fora -, que vai praticamente definir o seu futuro no Brasileirão.

Entre erros e acertos, muitos mais erros, sobretudo por conta da sua inexperiência, o técnico Thiago Larghi tinha por objetivo repetir o time titular da partida anterior, quando goleou o Sport, no Independência, mas na última hora perdeu por contusões o artilheiro Ricardo Oliveira e o meia Cazares, que nem viajaram com o time para Chapecó (SC).

Depois de cometer equívocos dentro de campo, seja na escalação inicial ou na hora de mexer no time com o jogo em andamento, o jovem técnico Thiago Larghi também conseguiu irritar a torcida alvinegra ao afirmar não ser obrigação ganhar o título brasileiro, pois o clube já está nesta fila há muitos anos.
Enfim, para tentar se manter no cargo, em 2019, só resta uma saída ao jovem treinador: conquistar a vaga na Libertadores, que seria ainda muito pouco, mas é o que sobrou nesta temporada marcada por fracassos.

FIM DE PAPO
• Não é segredo para ninguém a masmorra vivida pelos nossos clubes do interior, enquanto a Federação, que não tem um jogador registrado, nem tem torcida, tem dinheiro sobrando. Os três “grandes” da capital, Atlético, América e Cruzeiro, alojados na sua zona de conforto, nada fazem para mudar este quadro, pois recebem da emissora detentora dos direitos de transmissão do nosso estadual quase a totalidade da verba destinada pelo direito de arena, deixando as migalhas para os demais pobres e desorganizados clubes do interior.

• Com isso, a maioria dos clubes que representa cidades e regiões de grande potencial econômico, como é o caso do Ipatinga, praticamente sumiu do mapa. No Rio de Janeiro, por exemplo, onde a bagunça é ainda maior, um clube com 120 anos de existência, muitos histórias e tradição, o São Cristóvão, está prestes a fechar as portas por causa de dívidas.

• O ‘São-Cri-Cri’ carioca revelou, entre outros craques, Ronaldo Fenômeno, que depois veio parar no Cruzeiro, de onde saiu para ganhar o mundo. Ronaldo soube administrar com competência o que ganhou honestamente como jogador e, hoje, está milionário, tendo comprado, há um mês, por 30 milhões de euros, cerca de R$ 141 milhões, o Valladolid, clube que disputa a primeira divisão da Espanha. Enquanto isso, o São Cristóvão que o revelou agoniza esperando a morte chegar.

• Hoje o país vai às urnas para eleger, entre outros, o presidente da República. Vamos votar conscientes, sem ódio, analisando o passado e as propostas de cada candidato, para que as futuras gerações tenham a chance de um Brasil melhor em educação, saúde e segurança. Alguém escreveu com muita propriedade: “A democracia custa caro. A falta dela custa vidas”. (Fecha o pano!)


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário