14/09/2018 16:03:00

''Eu não desejo a metade da dor que estou passando''

Pai de jovem músico, executado e queimado, pede justiça ao sepultar o corpo do filho



Wellington Fred + álbum pessoal


Juliano de Paula foi assassinado e teve o corpo carbonizado; sepultamento foi marcado por intensa revolta de amigos e familiares

Muita revolta e muitas perguntas foram feitas entre amigos e familiares no sepultamento de Juliano de Paula Rodrigues, de 22 anos, morto a golpes de faca e cujo corpo ainda foi queimado em uma mata na região do distrito de Cordeiro de Minas, em Caratinga. O enterro do corpo da vítima ocorreu no fim da manhã desta sexta-feira (14), no Cemitério Parque Senhora da Paz, no bairro Veneza II, em Ipatinga.

O corpo de Juliano foi velado na igreja católica do distrito de Barra Alegre, em Ipatinga, onde o jovem morava e era muito atuante na comunidade.

Músico, Juliano era considerado um jovem tranquilo, sem qualquer problema com as pessoas. “Só lembranças boas dele. Ele era disponível para a obra de Deus e de toda a comunidade”, disse Cosme Damião Soares Xavier, de 48 anos, amigo da família.

O enterro ocorreu no fim da manhã dessa sexta-feira, com os amigos e familiares despedindo de Juliano, sepultamento ocorrido com o caixão lacrado. “Vai ficar aqui o que ele fez de bom para nós, não tem como morrer o que Juliano fez”, disse Cosme no momento que era abraçado pelo pai de Juliano.

Valtair Gomes Rodrigues, completamente arrasado, pediu as autoridades que se fizesse justiça e que prendessem quem anda “fazendo estes tipos de coisa, maltratando um ser humano que não é capaz de machucar o outro”. Ele afirmou que não deseja vingança e espera apenas uma resposta da Justiça.

Em um tom de desabafo e de compaixão cristão, Valtair afirmou não desejar o mal para o assassino do filho. “Eu não desejo para ele, esta pessoa, nem a metade da dor que eu estou passando e meu filho passou. Eu desejo que ele se arrependa do que fez. Não é justo o que fazer isso com uma pessoa”, finalizou.

Alheios ao ocorrido

Os amigos e familiares não sabem a motivação ou qualquer suspeita de autoria do crime. Juliano, segundo a ocorrência da PM, saiu de casa na última terça-feira à tarde alegando que iria encontrar um amigo no bairro Limoeiro. Contudo, ele não mais deu notícias e o telefone celular ficou desligado.

A PM contatou a família já no fim da manhã de quarta-feira, após a localização do corpo de Juliano, ainda sem identificação, em uma plantação de eucaliptos no distrito de Cordeiros de Minas, em Caratinga. Ele foi esfaqueado e teve o corpo queimado com gasolina, como apontou a perícia da Polícia Civil, que localizou um galão com ainda um pouco do combustível.

A moto da vítima, também queimada, estava em outro local na mesma região dos eucaliptos. Pelo registro dela, na base de dados do Detran, foi possível a polícia entrar em contato com os familiares de Juliano que realizaram a identificação oficial no IML de Caratinga na quinta-feira, confirmando a suspeita da polícia que poderia ser o rapaz desaparecido.

''Eu não desejo a metade da dor que estou passado''


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Comentários

Danii

19 de Setembro, 2018 | 19:19
Que Deus conforte o coração dessa familia,e interceda por essa região que já foi um lugar bom de se viver,infelizmente está cada dia mais violento e mais difícil,Vale do aço pede PAZ!
Que Jesus proteja nossas familias..
Lamentavel..

Deizi

15 de Setembro, 2018 | 09:08
Que Deus fortaleça e conforte a família e os amigos desse jovem que era tão querido. E que as autoridades se empenham e que a justiça vem a ser cumprida. Só sabe a dor dessa família quem já passou por uma brutalidade dessas.😓😢

José

14 de Setembro, 2018 | 19:06
Porque as pessoas tem que ser tão mal assim, nada justifica tirar a vida de ninguém com tanta crueldade assim que Deus de força a família.

Anonimo

14 de Setembro, 2018 | 16:31
nos que somos pais e que temos filhos adolescente que foram bem criados e educados, devemos dobrar a nossa vigilia por que mesmos sendo educados e polidos existem pessoas que acabam fazendo covardia por invejas e ambiçoes
Envie o seu Comentário