21/08/2018 05:59:00

Diretor da Usiminas admite a possibilidade de elaboração de um plano emergencial para Ipatinga

O executivo também assegurou que, mesmo com essa possibilidade de elaborar um plano de emergência, todas as medidas de segurança estão sendo tomadas dentro da siderúrgica



Wôlmer Ezequiel


Roberto Maia assegurou, durante entrevista, que todas as medidas de segurança estão sendo tomadas na área interna da siderúrgica

No dia da explosão no gasômetro da Usiminas (10/8), moradores de Ipatinga se sentiram ameaçados ou ficaram preocupados com a segurança de suas famílias. Houve até casos de pessoas que decidiram sair às pressas para outra cidade. Haveria necessidade de um plano de evacuação da cidade, a exemplo do que existe dentro da usina? Diante dessa preocupação, o diretor da Usina Intendente Câmara, Roberto Maia, afirmou que é possível que seja elaborado um plano de emergência para Ipatinga. A informação foi divulgada durante entrevista à imprensa regional.

Segundo o diretor, a siderúrgica já conta com planos internos de emergências para acidentes. Após a explosão no gasômetro, que assustou os moradores de Ipatinga, ele admitiu que a empresa vai avaliar se será necessário estabelecer algum plano de emergência para o município. “Então, pode ter certeza que isso será objeto de estudo dos órgãos fiscalizadores que estão nos acompanhando. O que for determinado e necessário, vamos estabelecer. Não posso afirmar o que será feito agora, mas com certeza, se for necessário, nós vamos participar desse processo”, citou.

O executivo também assegurou que, mesmo com essa possibilidade de elaborar um plano de emergência, todas as medidas de segurança estão sendo tomadas dentro da siderúrgica, ressaltando que a empresa dedica atenção em todo processo de produção. “Primeiro ponto é que temos a preocupação que outro acidente não se repita. Então, não precisa ter dúvidas de que a questão de segurança do processo está sendo olhada com muito mais detalhes e muito mais cuidado”, destacou.

Contaminação
Em relação à poluição por gases no município, Roberto Maia afirmou que, logo após a explosão no gasômetro, uma das preocupações foi verificar o impacto nos arredores da usina. “Acerca da contaminação por gases, fizemos um mapeamento das proximidades da siderúrgica e de toda a cidade, e não verificamos isso. De qualquer forma, é uma preocupação nossa”, salienta.

O diretor Roberto Maia também respondeu questionamentos gerados por um vídeo veiculado nas mídias sociais, que mostra pombos mortos no Centro de Ipatinga. “Fazemos um monitoramento da qualidade do ar e as nossas estações de monitoramento estão registrando uma situação normal. As carcaças dessas aves foram recolhidas e já foram entregues ao órgão ambiental específico, que dará prosseguimento à investigação da causa da morte, que vamos acompanhar”, pontua.

Conforme divulgado anteriormente, as causas da explosão no gasômetro ainda estão em apuração. Já se sabe, preliminarmente, que a falha em uma válvula permitiu a entrada de oxigênio no tanque e ocasionou a combustão do Linz Donawitz Gás (gás de aciaria). As causas dessa falha passam por avaliação técnica, conforme o diretor.



Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Comentários

Felipe

14 de Setembro, 2018 | 10:13
Se explodir, fujão para as montanhas!

Lampiao

24 de Agosto, 2018 | 13:18
Povo ignorante, não sabe o que diz...
Basta ver o que aconteceu com Cubatão quando deixaram apenas as laminações em operação... O Vale do Aço perece se isso acontecer!!! Ou vocês acham que a Aperam e a Cenibra vão dar emprego como a Usiminas!!??
Temos que nos unir para encontrar o melhor caminho, mantendo a empresa e a segurança dos empregados e da população.

Zeze

24 de Agosto, 2018 | 12:17
Boa Tarde! SE EXPLODIR O GRANDE. A POPULAÇÃO DE IPATINGA PODE ABRIR UM BURACO BEM FUNDO E PULAR DENTRO MEU AMIGO!

Pedro

22 de Agosto, 2018 | 18:38
A Usiminas deveria desativar estas áreas ,e ficar somente com a laminação, Ipatinga esta com alto índice de câncer e tumores,aparecendo na população, ninguém sabe explicar os motivos ,até os médicos estão perdidos, é um preço muito alto que pagamos.

Joziel Venancio Alvares

21 de Agosto, 2018 | 12:20
Tem que fazer treinamento não só com os empregados da Usiminas mas sim com toda população de Ipatinga, quando gasômetro explodiu todos nós ficamos pedido sem saber o que fazer, se tivermos um treinamento poderíamos até fazer alguma coisa para ajudar.
Envie o seu Comentário