08/08/2018 18:00:00

Funcionário da AMOI morre durante prestação de serviço na Usiminas

A nota da Usiminas esclarece que o acidente ocorreu durante a manutenção de um equipamento na Aciaria



Arquivo pessoal


Luis Fernando Pereira tinha 38 anos
Um funcionário da Abreu Manutenção Operação Industrial (AMOI) morreu na tarde desta quarta-feira (8), enquanto trabalhava na área interna da Usiminas. De acordo com a nota da assessoria de Comunicação da siderúrgica, Luis Fernando Pereira, de 38 anos, era empregado da contratada AMOI, empresa que presta serviços de manutenção na Usina Intendente Câmara. O fabricianense deixou esposa e três filhos.

A nota esclarece que o acidente ocorreu durante a manutenção de um equipamento na Aciaria. “Luis Fernando prestava serviço na Usina de Ipatinga desde 2016. Ele residia na cidade de Coronel Fabriciano. A empresa está prestando toda a assistência e solidariedade aos familiares, amigos e colegas do profissional contratado. As causas da ocorrência estão sendo investigadas”, conclui a nota.

A assessoria de Comunicação da AMOI também ressaltou que as causas do acidente estão sendo apuradas e que ainda irá se pronunciar por meio de uma nota, porém, sem data prevista.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Comentários

Mario Marcelo

13 de Agosto, 2018 | 20:54
Acidente em siderurgicas . TOLERANCIA ZERO .

Claudio

09 de Agosto, 2018 | 15:55
É isso ai Gildazio, não trabalho na usiminias, porem sei que a segurançado trabalho é praticamente perfeita, porem nem tudo na vida é 100%

Gildázio Garcia Vitor

09 de Agosto, 2018 | 13:13
Grandes empresas como a Usiminas têm políticas de segurança quase perfeitas, mas acidentes acontecem. O que devemos esperar é uma investigação séria por parte das autoridades competentes.

Joao

09 de Agosto, 2018 | 12:56
Como foi a morte... Alguém comenta aí

Ademir Silva

09 de Agosto, 2018 | 10:52
que milagre esse ter morrido dentro da usina, normalmente morre na ambulância a caminho do hospital ou no próprio hospital

Dexter

08 de Agosto, 2018 | 19:18
Ave Maria .... Como morre gente dentro dessa Usiminas........
Envie o seu Comentário