11/07/2018 16:20:00

Base aérea da Polícia Militar começa a operar em Valadares

Aeronave vai atender a diversas missões na área de segurança pública na região Leste e Vale do Aço



Divulgação


Pegasus ficará em Governador Valadares e poderá ser acionado em ocorrências de grande complexidade, de roubos a salvamentos

Um hangar no aeroporto municipal de Governador Valadares já sedia a base aérea da Polícia Militar. A cidade no Leste de Minas Gerais passa a fazer parte do grupo de municípios mineiros que possuem o serviço, com a instalação da 5ª Base Regional de Aviação do Estado (5ª Brave). Até agora a base existia apenas nos municípios de Belo Horizonte, Uberlândia, Montes Claros e Juiz de Fora.

Conforme a assessoria de imprensa da Prefeitura de Valadares, o helicóptero destinado à 5ª Brave é multimissão e opera em atividades de segurança pública, defesa civil, socorro e meio ambiente, com atendimento a mais de 200 municípios da região.

A base atuará com o apoio de 15 militares, dos quais, quatro pilotos (dois comandantes de aeronaves e dois comandantes de operações aéreas), cinco sargentos tripulantes operacionais, um sargento mecânico e mais cinco militares que ficarão responsáveis pelo transporte e combustível da aeronave.


O comandante da 5ª BRAVE, major PM Carlos Eduardo Justino Martins, informou que, por se tratar de uma aeronave multimissão, a Pegasus atuará em ocorrências de alta complexidade, como no caso de roubos, furtos a banco, sequestros, suporte médico e socorro, e combate a incêndios.

“Não é por menos que dispomos de diversos equipamentos de salvamento, armamentos, entre outros. Vale ressaltar que esta aeronave também atuará com voos preventivos, com pousos em locais estratégicos para aumentar a sensação de segurança na cidade”, destaca.

O acionamento da aeronave ocorrerá por qualquer militar em operação, independentemente de patente. “Além disso, estaremos em permanente contato com o Centro de Operações da Polícia Militar (Copom), sempre levando em conta a segurança de voo e as prioridades de atendimento”, conclui.




Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Comentários

Celso

13 de Julho, 2018 | 13:34
Não entendi o "chuva Vale do aço ". Eu sou de Ipatinga e sei que seria muito pior uma aeronave ter que atender Teófilo Otoni, Nanuque, estando aqui em Ipatinga e não valadares que tem equidistância com os principais municípios da região . Isso torna GV melhor que Ipatinga ? Talvez , por sediar serviços regionais, mas na questão de qual cidade é mais desenvolvida sócio economicamente, Ipatinga ganha de longe . Cada cidade tem suas qualidades e defeitos . Quem ganha com esse helicóptero em Valadares é toda a região.

Joao

12 de Julho, 2018 | 09:42
Excelente!!!... Se necessario, entre 15 e 20 minutos de voo a aeronave chega no vale do aço. GV seria mesmo a melhor cidade pois, esta mais estrategicamente localizada, assim podem atender demandas em Teófilo Otoni que entra ano e sem ano sofre com chuvas necessitando de serviços uteis de defesa civil. Parabéns!!!

José Bonifácio

12 de Julho, 2018 | 08:27
Vota em Deputada que aparece na região só em época de eleição.

Fernando Luiz

11 de Julho, 2018 | 20:49
Chupa Vale do Aço . Vota em deputados paraquedistas e perde representatividade política pra GV. Está perdendo até para Caratinga.
Envie o seu Comentário