11/07/2018 15:30:00

Coleta seletiva em Timóteo requer bom senso da população

O programa de coleta seletiva foi reestruturado em Timóteo e entrou em vigor em janeiro de 2015



Divulgação


Material reciclável não deve ser misturado ao lixo orgânico

A Secretaria de Obras, Serviços Urbanos e Meio Ambiente de Timóteo tem feito um apelo aos moradores para não depositar lixo domiciliar dentro das caixas coletoras de material reciclável. De acordo com a coordenação da Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Timóteo (Ascati), quando o caminhão da entidade passa para recolher plásticos, papéis, vidros e metais separados pela comunidade e depositados dentro das caixas coletoras, eles estão misturados ao lixo domiciliar, que é úmido e acaba por contaminar os materiais secos. Por outro lado, o lixo úmido ou orgânico deixa de ser recolhido pelo serviço público, que não retira o conteúdo das caixas coletoras que pertencem à Ascati.

A Ascati se responsabiliza pelo recolhimento de materiais recicláveis que são encaminhados para a Usina de Triagem da entidade localizada no bairro Alegre. O serviço de limpeza urbana do Município se encarrega de recolher o lixo domiciliar (orgânico) que é destinado diariamente ao Aterro Sanitário, em Santana do Paraíso. São atividades compatíveis com objetivos diferentes.

O programa de coleta seletiva foi reestruturado em Timóteo e entrou em vigor em janeiro de 2015. Dezoito caixas coletoras foram instaladas em pontos estratégicos do município para que a população separe os materiais recicláveis. O projeto piloto atinge os bairros Alegre, Alto Timirim, Alto Serenata, Alvorada, Bela Vista, Centro Sul, Limoeiro, Novo Horizonte, Novo Tempo, Olaria, Primavera, Quitandinha, Santa Maria, São José, Timirim, Timotinho.
A reintrodução do programa de coleta seletiva foi acompanhada por distribuição de panfletos de conscientização à população, além de propagandas no rádio, entrevistas ao vivo e sensibilização da comunidade com abordagem direta. A educação é um processo permanente, mas não tem sido suficiente.

O reaproveitamento de materiais como plástico, metal, papel e vidro ajuda a reduzir significativamente a quantidade de resíduos sólidos, contribui para a preservação ambiental e é uma importante atividade econômica, que gera empregos e renda para os catadores. Segundo a Ascati, a prática da coleta seletiva requer um grande esforço e desafio para o governo municipal e entidades que não têm como ampliar o serviço.

Para os ambientalistas e a sociedade em geral, cabe adotar bons hábitos que contribuam com a preservação do meio ambiente e reduza os riscos para a saúde. A Usina de Triagem da Ascati fica na Avenida Alexandre Torquetti, nº 43, bairro Alegre. Telefone: (31) 3847-4925.



Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário