10/07/2018 17:27:00

Professores da rede estadual de ensino retornam com greve

Esta é a terceira paralisação dos professores do Estado de Minas Gerais neste ano



Divulgação


No mês passado, professores reivindicaram o pagamento do salário, em Belo Horizonte
Representantes dos profissionais da educação da rede estadual anunciam que foi reiniciado o movimento grevista em reivindicação ao pagamento dos salários no 5º dia útil do mês. Esta é a terceira paralisação dos professores do Estado de Minas Gerais neste ano. Além disso, os professores ainda protestam contra a medida do Governo de Minas que reduzem o valor das parcelas dos vencimentos para R$ 1.500. Antes da medida, servidores com salários iguais ou superiores a R$ 3.000 recebiam a parcela com o valor integral.

Por enquanto, no Vale do Aço apenas a Escola Estadual Laura Xavier Santana, no bairro Bom Jardim, em Ipatinga, notificou à Superintendência Regional de Ensino (SRE) de Coronel Fabriciano sobre paralisação parcial das atividades escolares. Contudo, caso não seja firmada a negociação entre o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-Ute MG) e Governo de Minas, a tendência é que outras instituições suspendam as aulas.

Neste ano, os professores da rede estadual de ensino paralisaram as atividades de fevereiro a abril, com a suspensão das atividades por mais de 40 dias. No mês passado, os profissionais pararam por 15 dias, devido o atraso no depósito do salário.

Calendário

O Sind-Ute afirmou em nota que busca alternativas para o calendário escolar de 2018. “A direção estadual do Sind-Ute já solicitou reunião com o Governo do Estado para tratar do calendário de 2018, visto que vários ofícios foram emitidos pela Secretaria de Estado da Educação, sem qualquer diálogo com a categoria. Os compromissos firmados pelo Governo quando da suspensão temporária da greve não foram cumpridos”, pontua o sindicato.

Anteriormente, o sindicato acionou a Justiça para que o salário seja pago no 5º dia útil. Os professores ainda aguardam a decisão do Tribunal de Justiça de Minas.

Segundo o Sind-Ute, não há previsão do fim do movimento grevista. O parcelamento dos salários dos professores começou em 2016 e, na sexta-feira (6), a nova escala provocou a paralisação da categoria novamente. Segundo a alteração, a primeira parcela, vencida no 5º dia útil, e a segunda parcela, com vencimento no dia 13, têm o valor de R$ 1.500, o restante do salário será pago somente no dia 31.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário