17/04/2018 05:53:00

Aécio Neves se diz vítima de armação

Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal, decide hoje se aceita denúncia formulada pela Procuradoria Geral da República (PGR) contra Aécio Neves por crimes de corrupção e obstrução de Justiça



A defesa do senador Aécio Neves (PSDB) quer ter acesso a provas já produzidas nas investigações de supostas irregularidades na delação de executivos do grupo J&F, controlador do frigorífico JBS. Ontem, o senador se disse vítima de um "enredo preparado".
Divulgação


Processo contra Aécio Neves entra na pauta do STF e pode ser julgado hoje


Nesta terça-feira (17), consta na pauta o julgamento, pela Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal, denúncia formulada pela Procuradoria Geral da República (PGR) contra Aécio Neves por crimes de corrupção e obstrução de Justiça.

A defesa do mineiro divulgou nota em quê afirma ser “imprescindível” que o pedido de acesso a provas seja aceito pelo Supremo Tribunal Federal, “uma vez que esses elementos podem comprovar a ilegalidade de provas e das armadilhas arquitetadas contra o senador com a participação de membros do MPF [Ministério Público Federal]”.

Aécio foi acusado pela PGR em junho do ano passado de pedir propina de R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, dono da J&F, em troca de favores (leia diálogo entre Aécio Neves e Joesley Batista); e também de tentar atrapalhar o andamento da Operação Lava Jato.

Na nota, o advogado de Aécio, Alberto Zacharias Toron, diz que Joesley Batista e o ex-procurador Marcelo Miller já tiveram acesso a “vários documentos”, o que não aconteceu, segundo a nota, com a defesa do tucano.

O ex-procurador citado na nota, Marcelo Miller, é suspeito de fazer “jogo duplo” no papel de procurador e advogado dos executivos da J&F nas negociações para fechar acordo de delação premiada junto à Procuradoria Geral da República (PGR).


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Comentários

Leoncio Simoes

17 de Abril, 2018 | 20:17
No nrasil e muito engracado todo bandido e vitimo de alguma coisa.
Um audio que o cara fala em matar uma pessoa ainda se diz vitima.

Trabalhadores

17 de Abril, 2018 | 19:30
Armação foi o que vcs políticos fizeram com nós , aprovando está reforma trabalhista.

Gildázio Garcia Vitorg

17 de Abril, 2018 | 13:41
Todos, até o Geddel dos 51 milhões, são inocentes. Culpados somos nós eleitores que votamos, obrigados pela lei, nesses políticos. Por isso é que o voto deveria ser facultativo.
Envie o seu Comentário