14/04/2018 09:10:00

OUTRA VEZ O CAOS POLÍTICO...

José Edélcio Drumond Alves *



“Quais são os culpados desta embromação que provocará nova eleição?”

Mais uma vez a nossa comunidade vive o caos político e teremos que, novamente, cumprir o obrigatório direito de votar. Votamos no ano de 2016, vamos votar na eleição extemporânea e teremos que votar em outubro para Presidente da República, governador, senadores e deputados, federais e estaduais. Depois teremos que votar no ano de 2020 para prefeito e vereadores. Acho que vamos cansar de tanto votar, ou seja, nos quatro anos votaremos quatro vezes. O pior é que as opções não dão margem para uma boa escolha.

Mas, em termos locais, quais são os culpados desta embromação que provocará nova eleição?
A essa pergunta que não é difícil dar as respostas cabíveis. Poderemos responder sem obediência a ordem dos culpados, vejamos:
O partido, que olhou só a possibilidade de vitória e indicou o mais rico ou os donos dos partidos ou mesmo os donos do poder.
A decisão partidária vem do alto escalão estadual ou federal e estes muitas vezes desconhecem a realidade das comunidades locais.
Tudo vem de cima como uma camisa de força e assim tudo isto precisa mudar para os inscritos nos municípios possam escolher o seu candidato ou os seus candidatos dentro da sua preferência partidária.

Depois vem o maior culpado, o senhor eleitor. Este compõe uma massa heterogênea, impregnada de vícios, cheias de interesses pessoais, de fanatismos e a grande maioria não coloca no seu voto o melhor para a sua comunidade prefere trocar o seu voto por um par de sapatos onde recebe primeiro o do pé direito e depois da eleição, se o doador ganhou, recebe depois o pé esquerdo.

Lá na velha Braúnas de todos os tempos o “Sô Remundo” saiu candidato e distribuiu “butinas” dos dois pés a torto e a direito e guardou um saldo bom para trocar, em caso de vitória. Mesmo derrotado ele foi procurado por alguns eleitores que traziam uns o pé direito da “butina” e outros o pé esquerdo que queriam completar seus pares. Indignado ele mandava todos para aquele lugar e para ficar livre queimou todo o estoque que havia guardado.
Assim é uma boa parte do eleitorado brasileiro e o de Ipatinga não foge à regra e o que é pior: os bons eleitores também pagam o pato.

Os interesses pessoais que vão desde os cargos em “comessão”, às licitações dirigidas, as contratações com base no QI ou seja “quem indica” e mesmos vantagens e favores especiais.
No Brasil votaram no Tiririca, que é considerado um bom palhaço no real sentido da palavra, e seu slogan – pior do que tá não fica- atraiu milhares de eleitores, mas o seu pior do que tá não fica, ficou “mais pior” com seu silêncio e o mesmo não fez nada.

Pelé continua com a razão “BRASILEIRO NÃO SABE VOTAR”. O voto deveria ser a arma brasileira para combater o grande mal do Brasil: O Brasil dos políticos corruptos e que não amam a nossa sofrida pátria.

* Advogado e empresário.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário