07/02/2018 10:24:00

A moda e o carnaval

Wagner Pena e as novidades do mundo fashion



Divulgação


O carnaval da grife Jardin
POCHETE
Entre os vários lançamentos para o Carnaval, parece que o mais importante a registrar são as pochetes. Isso mesmo. As pequenas bolsas, carregadas à tiracolo, são o elemento de maior utilidade e segurança para foliãs & foliões nas festas populares ou mesmo nas festinhas particulares.

Não apenas porque permite que se use pouca roupa, já que o calor está fogo, como também porque pode ser um elemento bacana, se bem transado.

Por isso, muitas marcas lançaram sua linha de pochetes carnavalescas, com divisões internas, estampas alegres e opções para ajustes da alça juntinho ao corpo. Como tudo na moda, há o risco dessa tendência prosseguir após o Carnaval, já que a nossa insegurança pública dura o ano todo.

PASSARELA
A piadinha fashion mais gostosa nessa véspera de Carnaval diz que quem tem dinheiro pode sair fantasiado por grifes famosas e internacionais na festa de Momo. Basta dar uma olhada nos desfiles apresentados em 2017 e nesse início de 2018 no eixo Londres/Paris/Nova York.

De fato, os estilistas levaram tantos exageros para as passarelas que ficaram a um mero passo do Sambódromo.

Nessa lista estão os prints de baralhos da Dolce & Gabbana, as borboletas do Moschino (esse é o campeão, pois já vestiu suas modelos até de vendedoras de hambúrguer), a estrelas de paetês da Gucci, o pajem da Louis Vuitton e muitas outras grifes de peso. É só escolher.

TRANSFORMADORES
O consultor de moda Rodrigo Cezário está feliz da vida. É que a tecelagem Tati & Arte, que faz tecidos artesanais na cidade mineira de Carmo do Rio Claro, venceu o prêmio Transformadores, da Assintecal.

A premiação foi na feira Inspiramais, a maior em suprimentos para a moda em toda a America Latina, e foi realizada São Paulo, no mês de janeiro. Aliás, é o segundo prêmio do Rodrigo, pois ele já ganhou a mesma distinção atendendo a uma outra empresa mineira. Como se vê, o rapaz tem talento.

////

VAIVÉM
* A turma fashion está baixando em peso em São Paulo. Mas desta vez não é para ver feiras e nem desfiles, e sim, para ver a exposição de Jean-Michel Basquiat, o artista-ícone em Nova York nos anos 80, rebelde que influenciou toda a cultura de arte de rua, como os grafites & mais. ***

* Sabem qual a fantasia mais pedida neste ano? Foi a de sereia. Mas não havia muitas para vender, porque os estilistas achavam que era difícil de usar. Faz sentido. ***

* Já que estamos no quesito fantasias, a peruca mais vendida é a que imita o cabelo do Pablo Vittar, bem longa e colorida. Isto é, não imita apenas o louro-branco do transformista carioca, mas também tem rosa, azul, verde e por aí vai. Quem se habilita? ****

PONTO FINAL - O inevitável aconteceu. Uma turma de artistas tupiniquins foi a um lançamento de grife famosa, em São Paulo, com todas vestidas de preto.

Obviamente, uma alusão ao protesto que as artistas americanas fizeram durante a entrega do Globo de Ouro contra o assédio masculino. No caso da festa paulista, a coisa foi feita de forma mais elegante e bem discreta. Como se diz, não resistimos a um modismo vindo de fora.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Reação dos Leitores





Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário