06/02/2018 10:17:00

Orquestra de Câmara do Vale do Aço

Parceria leva ensaios fechados e abertos ao Centro Cultural Usiminas



O Instituto Cultural Usiminas anuncia para 2018 uma parceria inédita com a Orquestra de Câmara do Vale do Aço. A partir deste mês, o Centro Cultural Usiminas vai abrigar os ensaios regulares da orquestra, visando fomentar ainda mais a música instrumental no Vale do Aço.

Estão previstos 76 ensaios da Orquestra nas dependências do Centro Cultural Usiminas, sempre nas noites das segundas e quartas-feiras, das 19h às 22h. Além disso, sete apresentações da orquestra estão confirmadas para este ano.

Warley Soares/Divulgação CCU


A orquestra se apresenta com 25 a 30 músicos, em média
Para aproximar o público dos concertos e da linguagem da música clássica, os ensaios da orquestra serão abertos aos interessados uma vez por mês, no Teatro do Centro Cultural Usiminas, gratuitamente. As pessoas poderão ver de perto a formação de uma Orquestra de Câmara, ter contato com os músicos e o maestro e, ainda, apreciar uma boa música.

A diretora do Instituto Cultural Usiminas, Penélope Portugal, fala da ação: “Estamos felizes em firmar esta parceria e contribuir na formação artística no Vale do Aço. O Centro Cultural é um espaço natural para os talentos, por isso abrimos as portas para receber a Orquestra de Câmara do Vale do Aço e seus ensaios regulares”, pontua.

O maestro Vinicius Saturnino Chaves diz que ensaiar no Centro Cultural Usiminas é um sonho antigo. “Estamos honrados. A parceria mostra o carinho do Instituto com a Orquestra e a preocupação da Usiminas em preservar e ampliar o patrimônio cultural por meio da música”.

A Orquestra de Câmara do Vale do Aço tem 18 anos de existência e conta com 25 a 30 músicos, em média, nas apresentações que têm repertório e estilos variados. Os instrumentos incluem violino, viola, violoncelo, contrabaixo, flauta, oboé, clarinete, trompa, saxofone, trompete, trombone e percussão. Em alguns eventos também há um pianista convidado.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Comentários

Maisa

06 de Fevereiro, 2018 | 23:44
É uma orquestra com potencial, mas que, infelizmente, perdeu o rumo em termos de música erudita. Ainda dá para recuperar. É chato querer ouvir música clássica e a única orquestra da região fazer concertos só de música comum. Se eu quiser ouvir pop, vou numa boate, se eu quiser forró, vou a um pé de Serra, mas procurar uma orquestra para isto eu não iria pensar, assim, se eu quiser ouvir música clássica, procuro uma orquestra, mas infelizmente a do Vale do Aço tem fugido disto. Voltem com o repertório erudito urgente. Vocês tem potencial, mas não é tentando agradar a todos tocando música pop/samba e outros que vão conseguir. Toquem música erudita. Falo com carinho. Quero ouvir Vivaldi e não Luiz Gonzaga, por melhor que seja, está bem? Esperando pelos concertos!!! Beijos a orquestra!!!
Envie o seu Comentário