22/12/2017 19:33:00

Sem previsões



Divulgação

O destaque da semana passada foi o sorteio realizado pela Confederação Sul-Americana, em sua luxuosa sede no Paraguai, onde foram conhecidos os grupos e os primeiros jogos em 2018 da Copa Libertadores e Copa Sul Americana.

O Cruzeiro, como campeão da Copa do Brasil e pelo ranking da Conmebol, ficou como cabeça da Chave 5, onde também estarão o Universidade do Chile, Racing da Argentina e, muito provavelmente, o Vasco da Gama, que antes fará dois jogos de mata-mata com o chileno Union Espanhola pela chamada Pré-Libertadores.

O Galo, que terminou em nono lugar no Brasileiro e não conseguiu classificação ao menos para disputar a Pré-Libertadores, vai iniciar a disputa da Copa Sul Americana contra o San Lorenzo da Argentina, o time do Papa Francisco.

Portanto, qualquer previsão que se faça hoje é chute. Não há como saber ao certo, neste momento, como estarão os adversários e muito menos os times brasileiros, que estão com os jogadores em período de férias, além do mercado aberto para contratações e reformulação de suas equipes.

Também seria de bom tamanho pedir cautela à nossa grande mídia, useira e vezeira em achar que os times brasileiros são sempre favoritos em qualquer competição continental.

Por conta dessa soberba e arrogância que contamina nossos dirigentes, jogadores e torcidas, já quebramos a cara várias vezes.

Novo rumo
Com uma expressiva votação (38 x 8), o advogado Silvestre Antonio Ferreira, 53 anos, foi eleito na noite da última segunda-feira para comandar os destinos da Liga de Desportos de Ipatinga, no quadriênio 2018-2021, derrotando o candidato apoiado pela atual diretoria.

Experiente no cargo, que já ocupou outras três vezes, Silvestre e sua diretoria terão de se desdobrar para dar um novo rumo à entidade, recuperar a sua credibilidade por conta de muitas dívidas, cumprindo a promessa feita em campanha de recolocá-la nos trilhos novamente.

O resultado da eleição na LDI também bateu pesado na esfera mais alta, a direção atual da Federação Mineira de Futebol, que terá de conviver a partir de agora com uma “pedra no sapato”.

O presidente eleito da LDI desconversa e diz que “manterá uma relação institucional” com o atual presidente, Marcelo Aro, neto e atual herdeiro do Coronel José Guilherme, patriarca do feudo que domina a entidade máxima do futebol mineiro há mais de meio século.

Se repetir o sucesso das administrações anteriores à frente da LDI, que o levou a se candidatar à presidência da FMF, tornando-se o primeiro dirigente do interior a conseguir registrar e disputar uma eleição na entidade, nada impedirá que, em futuro próximo, ele volte a trilhar o mesmo caminho.

FIM DE PAPO
• Os prejuízos da selvageria praticada por vândalos que se dizem torcedores e se abrigam nas tais “organizadas”, são incalculáveis. Segundo informa em seu blog o jornalista Paulo Vinicius Coelho, um dia antes dos incidentes no Maracanã pela final da Copa Sul Americana, entre Flamengo x Independiente, o Mineirão havia apresentado candidatura para ser o estádio da primeira final única da Libertadores. Após os registros da barbárie no entorno do Maracanã e na porta do hotel do time argentino, a empresa que administra o Mineirão retirou-se do páreo.

• Felizmente, aqui nos nossos grotões nunca tivemos no Estádio Ipatingão o registro de casos semelhantes ao Rio de Janeiro e outras capitais do país. O nosso “Gigante do Parque Ipanema” está sendo bem cuidado pela atual administração para receber novamente grandes jogos em 2018, com segurança e conforto, podendo receber 22 mil torcedores, sua capacidade máxima. O Tombense já anunciou que vai enfrentar o Cruzeiro aqui, em fevereiro, pelo estadual, o que vai significar o reencontro do time celeste com a sua grande torcida na região após onze anos, desde que decidiu com o Ipatinga e ganhou de 1 x 0, conquistando o título mineiro de 2006.

• Há uma enorme expectativa do comércio e do poder público pela confirmação de outros grandes jogos para o Ipatingão, inclusive do Atlético, que jogou aqui pela última vez em 2014, quando enfrentou Criciúma e Fluminense pelo Campeonato Brasileiro. Sem a violência comum nos grandes centros, onde os baderneiros das torcidas organizadas atuam livremente, o Vale do Aço volta a ser de fato uma grande opção para Galo e Raposa mandarem seus jogos, até porque aliviaria um pouco o bolso de seus torcedores na capital, por conta do excesso de jogos e competições.

• Em boas condições como agora, o Ipatingão passa a ser um grande trunfo para atrair recursos, injetando milhões de reais na economia formal e informal da cidade e região, gerando emprego e renda numa época de grandes dificuldades. Alvíssaras! Feliz Natal e que 2018 seja de muita luz, paz e saúde para todos. (Fecha o pano!)


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário