21/12/2017 14:01:00

Instrutora de centro de formação é presa em Ipatinga

Profissional de autoescola é acusada de cobrar R$ 2 mil por aluno com promessa de suposta facilitação



Fotos: Pedro Samora


Instrutora foi presa em Ipatinga acusada de cobrar por suposta facilitação no exame de rua


Em uma operação realizada pela Polícia Civil, em Ipatinga, uma mulher residente em Coronel Fabriciano, foi presa em cumprimento a mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça. Conforme a PC, investigações iniciadas há seis meses na Delegacia Regional de Ipatinga demonstraram que Soffia Cláudia Miranda, de 44 anos, instrutora de uma autoescola, cobrava R$ 2 mil de candidatos para facilitar a obtenção da Carteira Nacional de Habilitação.

“Foi apurado que Soffia, em momento algum, teve acesso aos Examinadores do Detran ou qualquer outro funcionário das Unidades Policiais para efetivar essa facilitação”, informa a nota da PC, enviada ao Portal Diário do Aço. As investigações apontam que a ação da mulher induzia os candidatos a erro e simulava um suposto acordo que teria feito com os examinadores para aprovações nos exames de rua.

“Somente nestes últimos meses, a autora ludibriou cerca de 60 candidatos, auferindo a quantia aproximada de R$ 120 mil”, informa a nota da PC, enviada ao Portal Diário do Aço.
Com o procedimento desta quinta-feira, a Polícia Civil já efetuou a prisão de quatro instrutores de centros de formação de condutores que agiam com o mesmo método, uma funcionária da delegacia de Coronel Fabriciano e até de um candidato, por “condutas que denigrem a imagem da Banca Examinadora do Detran”.

Em entrevista na tarde desta quinta-feira, o delegado regional da PC, Helton Cotta, afirmou que a mulher presa não passa de uma estelionatária.

"Enganava os candidatos, simulava contatos dentro da delegacia e em função disso recolhia o dinheiro. Os candidatos são vítimas, porque foram enganados pela Soffia. Caso fosse comprovada a ligação da estelionatária com agentes públicos, os candidatos também seriam coautores do crime de fraude a certame público", esclareceu o delegado, que não descartou a prisão de mais pessoas envolvidas no golpe. “E se tiver envolvimento de funcionário público, vamos prender também”, concluiu.

Documentos apreendidas com investigada serão periciados


No ato da prisão da mulher foi recolhida grande quantidade de documentos que passará por avaliação técnica. Há suspeitas, inclusive, de falsificação de Carteira de Nacional de Habilitação.

Outra

Na semana passada, dois instrutores de um centro de formação em Timóteo foram presos em uma operação da Polícia Civil, também acusados do mesmo delito: venda de facilitação para obtenção da carteira de habilitação.

Conforme divulgado pelo Diário do Aço, um dos instrutores foi acusado pela Polícia Civil de se passar pelo Secretário Geral da Banca Examinadora, para efetivar o golpe. Duas vítimas foram identificadas.


Instrutora de auto escola é a quarta presa neste ano no Vale do Aço



Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Comentários

Alex

28 de Dezembro, 2017 | 10:45
"Enganava os candidatos" (Coitadinhos)
Só existir a corrupção precisa haver o corrupto e os corruptores.
Não existe ninguém enganado, todos deveriam receber a mesma pena.

Leoncio

23 de Dezembro, 2017 | 09:32
Corruptos corruptores tem que serem presos
So existe a corrupcao porque alguem procura
O famoso jeitinho brasileiro.

Alexasandre

22 de Dezembro, 2017 | 16:33
Porque o Gilberto Vidal não vai fazer o mesmo e ir para a cadeia também,quem sabe ele possa ter um vidão atrás das grandes,comer,beber,etc!

Betão

22 de Dezembro, 2017 | 13:22
Deveria investigar os examinadores

Justo

22 de Dezembro, 2017 | 05:43
Quem paga é da mesma laia de que quem recebe.Deviam ter a mesma pena.

Gilberto dos Reis Vidal

21 de Dezembro, 2017 | 22:13
" AGORA VAI MONTAR UMA BANCA EXAMINADORA DENTRO DA CELA E VAI LUBRIDIAR OS PRESOS COM 2.000,00 PARA ELES SEREM SOLTOS OU ATE MESMO PARA TIRAR CARTEIRA DE HABILITAÇAO NAS CELAS, VAI COMER QUENTINHA, TOMAR CAFE 2 VEZES AO DIA, BANHO.... ISTO QUE E VIDA EIM, ETA BRASIL.... "

Gilberto dos Reis Vidal

21 de Dezembro, 2017 | 22:12
" AGORA VAI MONTAR UMA BANCA EXAMINADORA DENTRO DA CELA E VAI LUBRIDIAR OS PRESOS COM 2.000,00 PARA ELES SEREM SOLTOS OU ATE MESMO PARA TIRAR CARTEIRA DE HABILITAÇAO NAS CELAS, VAI COMER QUENTINHA, TOMAR CAFE 2 VEZES AO DIA, BANHO.... ISTO QUE E VIDA EIM, ETA BRASIL.... "

Alex

21 de Dezembro, 2017 | 18:01
Joe Joe, não se pode dizer que nunca há. Mas na grande maioria dos casos, confirme se viu, os examinadores nem ficam sabendo do "acordo". Ela vende a facilitação. Se vc passar, fala que foi porque ela fez o esquema. Se não passar, ela diz que naquele dia, o examinador que ela tem esquema não pôde comparecer. E vai reclamar do quê? Afinal, quem fez o esquema tá cometendo crime, certo? Ninguém quer delatar.
Quase todos os casos de autoescola que conheço funcionam assim.

Miriam

21 de Dezembro, 2017 | 17:54
Pois e eu fiquei o sete mes na auto escola tentando tirar carteira.na prova eu passei imediatamente depois que fui pra fazer os texte na rua, toda vez que eu ia pra banca eles me pediam dinheiro pra eu levar a carteira aqui em timoteo por fim eu desisti porque nao achei que era justo eu ter que pagar de novo

Andreia

21 de Dezembro, 2017 | 16:38
Essa Sofia já deu esse golpe em várias pessoas em coronel fabriciano toda auto escola que ela passava ela dava o mesmo golpe e Aida fala que se não paga esse valor vai ficar dando dinheiro pra auto escola por muito tempo por que só passa quem da o dinheiro e isso já faz muitos anos não é de agora que ela faz isso

Joe Joe

21 de Dezembro, 2017 | 16:10
Engraçado! Sempre vemos notícias de instrutores presos, nunca vemos os examinadores sendo investigados. Sempre se chega a conclusão de que não houve participação dos examinadores. Será mesmo?
Envie o seu Comentário