19/12/2017 17:09:00

Campeão



Divulgação

Na decisão do campeonato mundial da FIFA, conquistado pelo Real Madri, ficou provado mais uma vez que a Europa é o centro do futebol, onde jogam os melhores jogadores do futebol, o continente que pode contratar qualquer jogador do planeta, a qualquer preço, e a qualquer momento.

A equipe espanhola provou isto na decisão, mesmo tendo vencido o Grêmio com um gol de falta, feito pelo melhor atleta do mundo, Cristiano Ronaldo, em lance que a barreira ainda colaborou, deixando evidente que a qualidade técnica da equipe campeã é muito grande.

Com uma equipe onde os 11 jogadores são titulares em suas respectivas seleções, o resultado não poderia ser diferente. Mesmo que o Grêmio em alguns momentos tivesse a posse de bola, o time de Renato Gaúcho não conseguiu importunar o goleiro adversário, preferindo tentar fazer gols dentro da área, quando poderia ter aproveitado com bolas chutadas fora da área, mas se importou muito pouco com isto.

Enfrentou uma defesa muito bem armada, com um meio de campo muito talentoso, um ataque veloz e de muita qualidade. Esta é a diferença do futebol sul-americano, que custa a manter seus bons jogadores em suas equipes, enquanto o futebol europeu esbanja talentos e dinheiro para comprar estes jogadores.

As equipes do futebol sul-americano precisam entender que o mundial de clubes não é a Libertadores da América, lá não tem que se impor com violência e catimba, que estas decisões é preciso talento, qualidade, sorte e vontade de vencer, e isto o Grêmio não teve dentro de campo.

Durante a semana ainda teve uma declaração do treinador gremista, que em sua soberba teve a coragem de dizer que foi melhor jogador do que Cristiano Ronaldo. Claro que Renato virou motivo de piadas, e mesmo sendo um bom jogador, ficou longe de ser considerado melhor do que Neymar, Cristiano Ronaldo, Messi e tantos outros que jogam no futebol europeu.

O jogador português, de forma tranquila, preferiu não entrar em polêmica, e só a sua presença em campo já é motivo de preocupação para qualquer time adversário. Ele fez seu papel, se igualou ao Pelé em gols nos mundiais, e a cada ano se consolida como um dos maiores atletas do futebol mundial.

Venceu a melhor equipe, a equipe mais poderosa da Europa, e o Grêmio pode se contentar com o segundo lugar, pois até lutou muito, mas pelo futebol apresentado, não mereceu a vitória.

EXEMPLO A SER SEGUIDO
Quem assistiu a final da Copa Sul-Americana, viu a atitude mesquinha e antidesportiva dos jogadores do Flamengo, quando foram receber a medalha de vice-campeões, nem deixando que os dirigentes lhes entregassem a medalha, tirando-a com a raiva de quem não aceita a derrota, mostrando uma enorme falta de educação.

No mundial, os atletas do Pachuca, do México, que firam em terceiro lugar, apareceram todos uniformizados, receberam as medalhas, na humildade, e a mostravam para todos, sentindo orgulho de ter participado da competição. Os jogadores do Grêmio também, receberam as suas medalhas e, mesmo tristes com a derrota, em momento algum se revoltaram com a situação.

É por estas e tantas outras atitudes dos jogadores brasileiros que muitos vão para a Europa se achando maiores do que todos, com a maior soberba do mundo, e acabam retornando para o Brasil ganhando milhões e sacrificando os seus clubes. Gente assim não dá certo mesmo, em países onde prevalece o respeito e a lei, de fato e de direito.

NOVA DIRETORIA
Na eleição realizada segunda feira (18), a chapa encabeçada por Silvestre Ferreira foi a vencedora e vai assumir a entidade a partir do primeiro dia de janeiro. Fica a expectativa que novas conquistas possam vir para o futebol amador da cidade.

TORCIDA DESORGANIZADA
Mais uma vez o futebol brasileiro deu um grande vexame, e desta vez foi a torcida do Flamengo, que protagonizou cenas lamentáveis de violência e invasão de estádio, atendendo ordens de torcedores que vão a campo apenas para criar tumulto e conflito, com comandos de foguetes usados como sinais para invadir o estádio. Cenas como estas não deveriam existir no futebol, em nenhum lugar no mundo, mas no Brasil se repetem todas as semanas em jogos do futebol e competições internacionais.

A Conmebol deveria punir de forma rigorosa a equipe carioca, e uma eliminação seria a pior pena possível. Claro que a entidade não vai chegar a tanto, mas esta sim, deveria ser uma punição exemplar, e com isto as outras equipes que forem disputar qualquer competição teriam a obrigação de manter a sua torcida de forma organizada. Os próprios torcedores iriam saber que o seu time poderia estar fora de uma competição tão importante na América do Sul por sua culpa.

Na Inglaterra, esta foi uma das medidas tomadas pelas autoridades contra os hooligans. A UEFA proibiu os clubes ingleses de participar de suas competições e ainda vetou que qualquer cidadão inglês pudesse viajar para acompanhar as suas equipes, quando elas tiveram puderam participar novamente das competições.

Qualquer medida que venha a ferir a verdadeira prática do esporte deve ser punida com rigor, mas aqui os órgãos responsáveis não têm a coragem que o futebol europeu teve. A Europa se organizou e, além de tornar os seus clubes milionários, tem as competições mais bem organizadas do planeta.

LEMBRANÇAS
Como segunda-feira teve eleição na Liga de Desportos de Ipatinga, deixo aqui uma lembrança emocionante do maior presidente que a entidade teve em toda a sua história, João Elias Inácio. Ele iniciou uma grande revolução na história do nosso futebol amador, criando as duas divisões.

Também apoiou o crescimento do esporte especializado em Ipatinga, criando dentro da LDI o Departamento de Esportes Especializados, com a contribuição de Luiz Belini Pereira Borges, que foi um dos dirigentes que deu início a este grande momento vivido pelo futsal em todas as categorias. Além do futsal, João Elias Inácio apoiava os jogos de Peteca, Dama e muitas outras modalidades. E assim, entrou para a história.

roberto50mg@hotmail.com.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário