13/12/2017 19:24:00

Cercar sim, privatizar, não

Comissão do legislativo vai ouvir usuários sobre o cercamento do Parque Ipanema



Alex Ferreira


Cercamento do parque é um projeto do Consep e proposta será submetida a pesquisa de usuários do local, define audiência

A Câmara de Ipatinga realizou audiência pública na tarde desta quarta-feira (13) para discutir o projeto de cercamento do Parque Ipanema, apresentado à Prefeitura Municipal pelos Conselhos Comunitários de Segurança Pública (Consep’s) Integrado e da Regional 4 de Ipatinga.

A audiência foi requisitada pela Comissão de Abastecimento, Indústria, Comércio, Agropecuária e Defesa do Consumidor, do Legislativo, e contou com presença de vários vereadores, de representantes dos Consep’s, Prefeitura, Polícia Militar e comunidade em geral.

A audiência pública foi presidida pela vereadora Cassinha Carvalho, presidente da Comissão de Abastecimento, que tem também como membros os vereadores Luiz Márcio Rocha Martins e Rogerinho. A principal justificativa para o cercamento do Parque é aumentar a segurança dos usuários do equipamento público.

Segundo os representantes dos Consep’s, várias ações são reivindicadas para combater a prática de crimes na área do parque e a preservação do patrimônio. No entendimento dos dirigentes do Consep, o cercamento do parque não é uma agenda do governo, é uma agenda do Consep Integrado de Ipatinga.

Alegam os dirigentes que há 10 anos discute-se a questão, que também foi levada aos governos do Robson e da Cecília. Cercar o Parque Ipanema é apenas uma das ações que o Consep reivindica para a promoção da segurança pública no Parque Ipanema.

Participantes de audiência sobre o Parque Ipanema puderam opinar sobre a proposta de certamento da área


Entre as outras estão, instalação de um sistema eletrônico de monitoramento por câmeras e guaritas fixas para a Polícia Militar. A PM confirma que o parque tornou-se rota de fuga para os autores de crimes. Também destacam que o cercamento do Parque Ipanema não é uma coisa nova, pois já estava previsto no projeto original de Burle Marx.

Várias pessoas da comunidade tiveram a oportunidade de se manifestar durante a audiência pública. A maioria delas se declarou contrária ao projeto defendido pelo Consep, que foi taxado como forma de segregação social. Elas também se disseram preocupadas com a descaracterização do maior cartão postal de Ipatinga e afirmaram que a medida seria completamente ineficaz para o fim de reduzir a ação de marginais no local.

Privatização, jamais

O presidente da Câmara Municipal de Ipatinga, vereador Nardyello Rocha, estava presente na audiência e garantiu que “independentemente de cercar, fechar ou qualquer outra coisa, o parlamento jamais vai permitir a privatização do parque”.

“Eu ouço essa conversa de cobrar a entrada no Parque Ipanema desde que cheguei ao parlamento muitos anos atrás. Mas tenham certeza, o parlamento nunca vai concordar com qualquer coisa desse tipo”, declarou Nardyello.

Para o presidente do Legislativo, está claro que é necessário melhorar a segurança no parque de forma imediata. “Ontem mesmo dois rapazes assaltaram uma moça no Parque Ipanema. Tomaram o celular dela e só não levaram o seu violino clássico porque ela agarrou o instrumento e apareceram algumas pessoas para ajudá-la. A PM, com toda a sua competência, prendeu os marginais logo depois, próximo à Maria Fumaça. Isso acontece lá todos os dias. Então é necessário que nós tomemos uma providência urgente e de forma veemente”, exemplificou.

Pesquisa
Como encaminhamento final, Nardyello Rocha sugeriu que a Comissão de Abastecimento, Indústria, Comércio da Câmara faça uma pesquisa com os usuários do parque e ouça o que eles têm a dizer sobre a questão da segurança e do cercamento.

“Nós vemos muitas pessoas que não são frequentadoras do parque dando opinião sobre o problema. Tem que ir lá para ver o que o que o usuário do Parque Ipanema quer, porque ele é que sente na pele o problema da falta de segurança. Então, a minha sugestão é essa: que o usuário do parque seja ouvido em uma pesquisa realizada pela comissão, porque é ele quem realmente está lá dentro e sabe o que acontece”, finalizou o vereador Nardyello Rocha.

A vereadora Cassinha Carvalho afirmou que este ano participou de todas as reuniões do Consep Integrado e que o seu objetivo é buscar o melhor para a cidade. Segundo a parlamentar, o secretário municipal de Obras Públicas, Eduardo Vilane, que estava presente na audiência, havia lhe garantido que nenhuma medida seria tomada pela administração sem antes ouvir a população.

“Esta audiência pública é o primeiro passo no sentido de ouvirmos a população. Todos os encaminhamentos apresentados hoje foram registrados e serão analisados. Com certeza, a Comissão de Abastecimento estará realizando a pesquisa sugerida aqui pelo presidente Nardyello Rocha para saber qual o interesse real da população”, concluiu a vereadora Cassinha Carvalho.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Comentários

Bope

19 de Dezembro, 2017 | 12:09
Burle Marx tava certo em ter incluído o cercamento no projeto original. Tem que cercar mesmo, para evitar a entrada e saída de marginais e animais, evitando assim a degradação do parque. Pode privatizar sim, mas se for cobrar que seja uma taxa simbólica para evitar depredações e vagabundagem. Se pagamos estacionamento faixa azul porque pedestre não pode pagar faixa verde? E outra essas barracas estão uma vergonha, só exploração e nada de higiene e limpeza.

Pedro

17 de Dezembro, 2017 | 19:50
um lixo de parque.. barracas horrorosas e sem qualquer segurança alimentar... tem que melhorar pra ontem... licitar as barracas para quem queira explorar ,lógico, num número razoável de barracas para que o excesso de barracas não atrapalhe o paisagismo nem a concorrencia na exploração do setor...

Guima

14 de Dezembro, 2017 | 09:45
Tem que melhorar a segurança . Ter uma programação cultural de bom nível permanente, quem sabe construir museus, ou um centro cultural. Também precisa investir em restaurantes mas sofisticado com culinária mais variadas. Atrair os visitantes com programação de bom nível.
Envie o seu Comentário