18/05/2017 07:51:00

Dia do Vidraceiro: como se apresenta o mercado para os profissionais?

Dermival Poçan



Divulgação

Em 18 de maio é celebrado o Dia do Vidraceiro, profissional responsável pela projeção e execução do corte, lapidação, furação e a instalação do vidro comum ou temperado nos mais diversos ambientes.

Quando atua na construção civil, o especialista realiza a instalação do vidro na fase final do acabamento da obra, justamente para evitar riscos de danos aos produtos e até mesmo aos demais materiais nos ambientes.

Agora fica a pergunta: para a realização desse serviço é necessária ou não uma bela combinação de talento e técnica? Com certeza, sim. Por isso é tão importante a capacitação e a atualização constante de quem atua nessa área. Afinal, novos equipamentos e tecnologias surgem a todo momento e podem aumentar a produtividade do profissional.

E produtividade é tudo o que esses especialistas precisam, principalmente, por atuarem em uma área que cresce e apresenta oportunidades como o segmento da vidraçaria.

Para entender um pouco mais a representatividade dos vidros no Brasil, é importante falar do setor. Dados apresentados na última pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Distribuidores e Processadores de Vidros (Abravidro), em 2015, revelam que o volume de vidro plano consumido no país passou de um milhão de toneladas.

Outro fator relevante apontado no estudo é a separação por participação de produto: o temperado engoliu 34,9% da fatia – desse montante, 61% é de vidro processado não automotivo; 42,7% do total foram vidros planos comuns, sem qualquer processamento, consumidos pelo setor automotivo.

O vidro laminado teve a participação de 9,1% - apesar de o índice ser baixo, ele cresce ano a ano; já o espelho teve 7,1%; o tampo e o curvo representaram 5,7%; e, por fim, o insulado computou 0,4%.

A partir desse cenário podemos constatar que, além do crescimento do setor, há um leque enorme de atuação para os vidraceiros, com novas fatias de mercado que vão de um ponto comercial como uma vidraçaria até o setor automotivo, por exemplo. Porém, atrelado à essa expansão, sempre há novas exigências feitas ao profissional.

Por isso, cada vez mais é preciso fazer treinamentos e capacitações, não somente para buscar o aperfeiçoamento, mas também, para estar atento às novidades, aos modelos de ferramentas que podem ser usadas no dia a dia do trabalho, para fazer a melhor escolha de equipamentos e saber utilizá-los.

Afinal, aquilo que pode parecer apenas um detalhe pode, na verdade, fazer toda a diferença quando o assunto é produtividade e qualidade no manejo dos vidros.

* Coordenador técnico de produto da IRWIN, multinacional de ferramentas e acessórios para profissionais das áreas da construção civil, marcenaria, mecânica, metalúrgica, elétrica, carpintaria, manutenção e reparo.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário