08/12/2016 23:08:00

Luto: morre Dom Lélis Lara

Bispo emérito estava internado no Hospital Unimed e morreu na noite desta quinta-feira



Arquivo Diocese Itabira-Fabriciano


Dom Lélis Lara, tinha 90 anos e estava internado desde a semana passada

Morreu por volta das 22h30, desta quinta-feira (8/12), no Hospital Metropolitano Unimed, em Coronel Fabriciano, o bispo emérito da Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano, Dom Lélis Lara. Ele estava internado desde o último dia 29 de novembro, para tratamento de uma pneumonia.

Dom Lara, segundo um boletim divulgado ontem pelo Hospital, teve uma melhora inicial, mas no último domingo, ele teve piora no quadro infeccioso e necessitou ser transferido para a Unidade de Tratamento Intensiva (UTI). O religioso estava sob sedação contínua (coma induzido) e respirava por aparelhos.

A confirmação da morte de Dom Lélis Lara, que iria completar 91 anos no próximo dia 19, ocorreu na página oficial da Paróquia Santo Antônio, de Coronel Fabriciano, no Facebook. Confira a nota:

“LUTO: Demos Graças a Deus pela Vida do Dom Lara. Sua presença em nossa diocese e em nosso meio fez de todos nós mais humanos; Obrigado pela sua VIDA. Fabriciano perde um dos ícones da FÉ. O corpo será velado na Catedral a partir de amanhã (sexta-feira) bem cedo.”

História de vida

Dom Lélis Lara, nasceu em Divinópolis – MG, em 19 de dezembro de 1925, filho de Joaquim Martins Lara e Maria José Lara. Cursou o 1º grau (1934-1937), em Divinópolis, e no dia 02 de março de 1938, ingressou no Seminário da Congregação Redentorista em Congonhas-MG, onde cursou o 2º grau (1938-1944) e se preparou para a vida religiosa.

Após o 2º grau em 1945, transferiu-se para Juiz de Fora-MG, no Seminário da Floresta, onde realizou a Profissão Religiosa em 2 de fevereiro de 1946 e, deu prosseguimento aos estudos, graduando em Filosofia e Teologia (1946-1951). A 28 de janeiro de 1951 foi ordenado Diácono. Ao término dos estudos, foi ordenado Padre, em Juiz de Fora, em 02 de fevereiro de 1951. Celebrou a 1ª Missa solene a 13 de maio de 1951 em sua terra natal.

Foi professor em Gongonhas-MG de 1952 a 1954. Em 1954, Dom Lara viajou para Roma para estudar na Pontifícia Universidade Gregoriana e Angelicum, onde concluiu estudos de Nível Superior em Direito Canônico, Espiritualidade e Música. Doutorou-se em Direito Canônico, no ano de 1958. Nesse período escreveu sua Tese de Láurea: “De Requisitis in subiecto ordinationis ab Ecclesiae Exordiis Usque ad Conc. Nicaenum”.

De volta ao Brasil, em 1958, passou um ano em Missões e em 1959, Dom Lara assumiu a Cátedra de Direito Canônico, Liturgia e Espiritualidade no Seminário Maior Redentorista de Juiz de Fora, onde foi diretor espiritual e reitor do Seminário, permanecendo até 1970.

Vinda para o Vale do Aço

Em 14 de janeiro de 1971, Dom Lara recebeu nova missão: unir-se à Comunidade Redentorista de Coronel Fabriciano-MG. A 19 de março de 1974 foi nomeado Vigário Episcopal do Vicariato III, integrando à equipe de coordenação pastoral diocesana. Começou uma nova vida pastoral, com novas missões.

Até 1976 foi Vigário Episcopal e Pároco da Paróquia São Sebastião de Coronel Fabriciano. Nesse período, lecionou no colégio Imaculada (dos Redentoristas), e, posteriormente, no Seminário de Mariana e Seminário Diocesano.

No dia 06 de dezembro de 1976, foi nomeado Bispo Auxiliar da Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano pelo Papa Paulo VI. No dia 02 de fevereiro de 1977, em Coronel Fabriciano, foi sagrado pelo Bispo Diocesano Dom Mário Teixeira Gurgel. Tendo como lema “Caritas omnia credit”(A caridade tudo crê – 1Cor. 13,7) .

Preocupado e sensibilizado com a questão social das crianças e adolescentes sem referência familiares e abandonados, Dom Lara criou uma instituição onde pudesse abrigar e educar esses jovens. Assim, em 06 de maio de 1971, criou a Fundação Comunitária Fabricianense – Funcelfa. Em 06 de dezembro de 1976, deu início à “Cidade do Menor”, entidade ligada a Funcelfa, para abrigar crianças e adolescentes. Na data da ordenação episcopal de Dom Lara, 02/02/1977, foi a primeira noite que 16 meninos dormiram na “Cidade do Menor”.

Na sua caminhada como Bispo Auxiliar de Itabira-Coronel Fabriciano, Dom Lara permaneceu a serviço de toda a Diocese, não se eximindo das funções anteriormente assumidas, além da sua ativa participação nas questões mais prementes e conflitantes da Região do Vale do Aço, agindo sempre em favor dos direitos humanos. Participou dos programas na TV Universitária de Coronel Fabriciano e na Rádio Educadora de Coronel Fabriciano, Rádio Milícia da Imaculada de São Paulo. Também teve participação nos programas da TV Cultura, em Itabira.

Elvira Nascimento

Em 1977, Dom Lara se integrou à Comunidade Episcopal do Regional Leste II da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB. Nas Assembleias da CNBB se fez presente assumindo funções de grande importância para o conjunto do Episcopado Brasileiro, como também para os fieis e população brasileira, tais como trabalhar nas Comissões de estudos sobre a conjuntura nacional.

Em 1991 assumiu o Colégio Técnico Pe. De Man e 1992, o Instituto Católico de Minas Gerais – ICMG, sucessor da PUC – Campus de Coronel Fabriciano. Dom Lara foi nomeado Grão Chanceler da Sociedade Educacional União e Técnica – SEUT, mantenedora do ICMG, declarado Centro Universitário UNILESTE aos 06 de junho de 2000.

Em 1998, Dom Lelis Lara foi nomeado Moderador do Tribunal Eclesiástico do Regional Leste II, da CNBB, sediado em Belo Horizonte. E em 06 de dezembro de 1995, nomeado Bispo-coadjutor e, em 22 de maio de 1996,tornou-se o 3º Bispo Diocesano da Diocese de Itabira-Cel. Fabriciano, pela Renúncia de Dom Mário Teixeira Gurgel. Em 23 de junho de 1996, assumiu a Diocese – “transmissão do báculo”.

Enquanto Bispo Diocesano, Dom Lara foi presidente da Irmandade Nossa Senhora das Dores em Itabira, por força do Estatuto da Irmandade. Também presidente da TV Universitária de Coronel Fabriciano, hoje TV UNI. Em 2001, lecionou Direito Canônico no Instituto Teológico Cura D’Ars, em Itabira-MG.

Sucessão de Dom Lara
Em 30 de março de 2003, pela sua renúncia, passou o báculo para Dom Odilon Guimarães Moreira, seu sucessor – 4º Bispo da Diocese de Itabira-Cel. Fabriciano.

Manteve programas na TV e rádios, em Itabira, e continua mantendo em Coronel Fabriciano, onde reside atualmente. Era atualmente, presidente da Sociedade Dom Bosco de Comunicação de Coronel Fabriciano, entidade mantenedora da TV UNI do Vale Aço.

Também membro da Diretoria da União Brasileira de Educação e Cultura – UBEC, entidade mantenedora do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais – Unileste, como também da Universidade Católica de Brasília e Faculdades Católicas de Palmas (TO). É presidente da Cáritas Diocesana.

Paulo Souza


Dom Lara, celebra missa ao completar 90 anos de idade

Dom Lara era apaixonado pela música. Trouxe para Coronel Fabriciano um órgão holandês, instalado na Catedral da cidade; fundou o ICMG, mantenedor da universidade local, a TV Universitária, mantendo programa de música erudita na rádio Educadora de Coronel Fabriciano.

Foi assessor Jurídico da CNBB e segundo vice-presidente da UBEC, Universidade Brasiliense de Educação e Comunicação, que mantém cursos da UNILESTE – Centro Universitário do Leste de Minas Gerais.

Publicou:

– Tese de Láurea intitulada “De Requisitis in subiecto ordinationis ab Ecclesiae exordiis usque ad Conc.Nicaenum” – Edição bilíngue (Latim – Português).

– Cadernos de Direito Canônico – Publicação periódica em forma de cartas.

– Artigos avulsos em periódicos e jornais, sobretudo da região.

Além dos trabalhos desenvolvidos ligados à área de educação, na Diocese e em Brasília-DF, Dom Lara atendeu àqueles que o procuraram, celebrava nas diversas paróquias da Diocese, representava o bispo em algumas ocasiões, contribuiu na formação das lideranças pastorais, assessorava encontros, retiros fora da Diocese e ainda dedicava parte do tempo a escrever artigos e estudar música.

Com informações da Cúria Diocesana de Itabira



Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Comentários

Chefe Escoteiro Marco Antonio Gonçalves

10 de Dezembro, 2016 | 23:04
Tive a honra de conhece-lo na década de 70, quando Comissario Regional Viajante Da Região de Minas gerais da União dos Escoteiros do Brasil.Ficamos amigos e pude ajuda-lo nas suas tarefas escoteiras, onde fazia ao seu lado, palestras sobre os valores escoteiros para a juventude.Ele participava dos encontros regionais escoteiros, e sempre com aquela alegria e simplicidade. O escotismo mineiro perdeu uma grande estrela, e eu, um grande amigo! Sempre Alerta velho Irmão!

Kelly Santos

10 de Dezembro, 2016 | 14:35
Lindas lembranças, belo sorriso e todo o carisma á todos. Saudades...Fabriciano tem muito de sua historia.

Betinho Lara

09 de Dezembro, 2016 | 17:54
Fui abençoado por te-lo como Tio e amigo, convivi e morei com ele por vários anos em Cel. Fabriciano, realmente é doloroso a separação física, no entanto, é isto que nos espera em algum momento de nossa mísera vida.
O que nos consola é saber que ele deixou para quem fica, aquele quem realmente foi em vida, onde, abdicando de todo o bem material, dedicou-se ao respeito, a dignidade e amor ao próximo.
É esta a herança e um dos ensinamentos que nos deixa o saudoso, companheiro e Tio, que dedicou sua vida a amar, compreender, defender e respeitar ao próximo.
Que "DEUS" lhe dê a vida eterna.

"A caridade tudo crê"

Isabella Andrade

09 de Dezembro, 2016 | 13:15
Que saibamos fazer o bem e amar ao próximo como ele nos ensinou! Que Deus o receba em seus braços! Sem dúvidas hoje é um dia muito triste para a nossa comunidade.

Rodrigo

09 de Dezembro, 2016 | 12:40
O Miqueias você perdeu a chance de ficar calado.
Não comente sobre o que você não conhece. Toda a comunidade do Vale do Aço sente a perda de Dom Lara.
Que Deus acolha ele na sua Santa Paz. Amem....

Saulo Rocha

09 de Dezembro, 2016 | 11:44
Querido Dom Lara,

Nós aqui do Nordeste, mais precisamente da cidade de Garanhuns, Pernambuco, também sentiremos sua falta. Hoje o mundo fica mais pobre, e o Céu com certeza mais rico. Rico pela sua alegria, rico pela sua capacidade de trabalho, pela sua amizade. O Coral do Arraial, que canta a "Ave Maria de Lara" também fica triste. E todos afinal, ficamos alegres em termos o privilégio da convivência com o nosso queiro Dom Lara.

Saulo Rocha Garanhuns-PE

Cacilda Ramos

09 de Dezembro, 2016 | 11:40
Grande perda.
Ficará uma lacuna nos corações que tiveram o privilégio de conhecê-lo.

Gildázio Garcia Vitor

09 de Dezembro, 2016 | 09:31
A Comunidade Cristã do Vale do Aço perdeu um dos seus maiores líderes que, por seu carisma e amabilidade, conquistava todos, inclusive os Ateus.Obrigado por todas as lições.

José Luiz Babilon

09 de Dezembro, 2016 | 08:38
Foi um grande homem, lutou em prol dos necessitados e ajudou muita gente.
Descanse em paz.

Dena Guimarães

09 de Dezembro, 2016 | 08:28
Dom Lara plantou na nossa região ( Vale do Aço ) sementes de bondade, fé, esperança, cultura, sabedoria e humanidade. A sua presença espiritual, continuará em nossos corações, através da sua fervorosa devoção “chama que nunca apagará”.
Hoje o seu leito é ao lado do Senhor.

Dena Guimarães.

Irnac Valadares Silva

09 de Dezembro, 2016 | 07:08
Que nosso Deus acolha o nosso amigo e Arcebispo emérito Dom Lelis Lara Lelis Lara, em seus braços para descansar em paz, amém.

Miqueias

09 de Dezembro, 2016 | 04:56
É... Fidel, Dom Lara... a fila tá crescendo.
Envie o seu Comentário