10/07/2012 - 00h01
Ciência a serviço da comunidade
Estudo aponta “Análises das áreas com pré-disposição à Movimentação de Massa no Município de Ipatinga”


Divulgação
estudantes engenharia ambiental
Stênio Bruno Lobo, Naiara Nascimento, Cleuciane Sanches e Sheila Drumond: formados em Engenharia Ambiental

IPATINGA - O desenvolvimento de pesquisas científicas durante a graduação é um importante aliado na formação do aluno. Alunos e professores dos cursos de Engenharias Civil e Ambiental da Unipac têm trabalhado em prol de uma formação do futuro profissional.

Os trabalhos em questão são um desdobramento de uma ampla pesquisa científica, iniciada em 2011, que mapeou e detalhou as principais áreas de risco em Ipatinga. Cerca de 300 alunos das disciplinas de Geotécnica Ambiental e Mineração (6º período do o curso de Engenharia Ambiental), e Mecânica dos Solos (6º e 7º períodos da Engenharia Civil) participaram deste projeto, que incluiu desde visitas técnicas à geração de laudos e relatórios completos das áreas pesquisadas. 

Agora, as informações coletadas estão servindo de base para diversos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), em que os alunos da Unipac buscam apresentar informações e alternativas para auxiliar o poder público na elaboração de projetos de infraestrutura.

O objetivo destes alunos é ir além da aprovação final na graduação: é usar o conhecimento adquirido na Unipac em prol da comunidade, neste caso, na redução das perdas sociais e econômicas, comumente registradas nas áreas de risco pesquisadas, sobretudo, no período chuvoso.

Prevenção
Este é o caso de Stênio Bruno Lobo e suas colegas de graduação em Engenharia Ambiental – Naiara Nascimento, Cleuciane Sanches e Sheila Drumond. Após a aprovação do trabalho “Análises das áreas com pré-disposição à Movimentação de Massa no Município de Ipatinga”, apresentado no último dia 26, os egressos esperam que as informações do TCC sejam utilizadas para ações preventivas e projetos de infraestrutura nas áreas de risco detalhadas. O TCC dos recém-formados engenheiros ambientais da Unipac traz desde a análise da presença de vegetação ao tipo de ocupação e movimentação do solo.

“Em nossa pesquisa, observamos que a defesa civil, em geral, atua depois que o evento já ocorreu. Muitas vezes, devido à falta de informações detalhadas sobre a área em questão”, justifica o egresso, que agora prepara o detalhamento das informações para fornecê-las à Defesa Civil de Ipatinga. Os alunos também já estão trabalhando na produção de um artigo, em revista especializada, e ainda pretendem apresentá-lo como pré-projeto para proposta de mestrado.
 
Risco

Conforme o estudo, os bairros mais suscetíveis à movimentação de massa (riscos de desmoronamento e desabamento), são: Canaã e Iguaçu (risco muito alto) e Bethânia, Caravelas, Chácara Madalena, Esperança, Vila Celeste, Granjas Vagalume (risco alto).

A informação gerada após o estudo será de suma importância para subsidiar a tomada de decisões pelos órgãos responsáveis, seja através de investimentos em projetos urbanísticos e campanhas de conscientização ambiental das populações inseridas nas localidades de risco iminente.











ATENÇÃO: Este comentário será moderado, podendo ser aprovado ou não. Evite palavras que possam comprometer sua imagem. Seu email não será divulgado.


















OUTRAS NOTÍCIAS DO CADERNO CIDADES


ÚLTIMAS NOTÍCIAS