06/12/2017 13:26:00

Gaeco prende dois ex-prefeitos de Caputira investigados em fraudes na prefeitura de Manhuaçu

Grupo de Ipatinga, em apoio ao Ministério Público investiga fraudes em licitação para a realização da Feira da Paz, em Manhuaçu



Portal Caparaó


Policiais Civis e Militares, em apoio ao MPMG investigam políticos acusados de envolvimento em fraude em licitação

O Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Ipatinga, com Ministério Público da Comarca de Manhuaçu acaba de prender dois ex-prefeitos de Caputira, dentre outras pessoas.

Até o fim da manhã de hoje cinco pessoas foram conduzidas coercitivamente à sede do Ministério Público para oitivas.

Segundo informações apuradas pelo Portal Diário do Aço, os ex-prefeitos Jairo de Cássio Teixeira e Wanderson de Oliveira Teixeira estariam envolvidos em fraudes em licitação junto à Prefeitura de Manhuaçu.

A secretária de cultura e lazer do município também foi conduzida. Foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão, nas cidades de Caputira, Manhuaçu, Abre Campo, São José da Lapa, Iúna e Venda Nova do Imigrante (essas duas últimas no estado do Espírito Santo).

Policiais civis e militares ainda estão em cumprimento de diligências em busca de mais documentos. Segundo as primeiras informações de fontes ligadas à polícia, nas buscas foi apreendido um revólver e munição, além de vasta documentação, computadores e outros equipamentos, para averiguação. Além das residências dos investigados também foram apreendidos documentos no Paço Municipal.

Nas buscas a documentos policiais apreenderam um revolver e munição


As investigações giram em torno da licitação de uma festa chamada "Feira da Paz", realizada anualmente em Manhuaçu, sempre no segundo semestre do ano. Denúncias apuradas pelo MPMG indicam que houve fraude na licitação para a realização da última edição do evento, entre os dias 3 e 5 de novembro, data da comemoração do aniversário de emancipação política do município.

Nota oficial da Prefeitura de Manhuaçu

"A respeito da operação de busca e apreensão desencadeada nesta quarta-feira (6) na Prefeitura de Manhuaçu e na Secretária de Cultura e Turismo, é importante esclarecer que a Administração Municipal sempre esteve à disposição do Ministério Público ou qualquer órgão fiscalizador, inclusive com a publicação de todas as licitações no portal da transparência e qualquer cidadão pode ter acesso a essas informações.

Documentos e computadores foram apreendidos na casa dos investigados e na prefeitura de Manhuaçu


Quanto ao Pregão Presencial realizado publicamente para a Feira da Paz, a administração reitera que tem adotado todos os mecanismos para garantir o máximo de transparência em seus atos, permitindo a fiscalização e o controle pelo Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público e os cidadãos.

A Administração Municipal reitera a confiança integral na Comissão Permanente de Licitação, que atua há mais de doze anos na Prefeitura Municipal, bem como no trabalho da Secretaria de Cultura e Turismo do município.

Vale ressaltar que todos os documentos solicitados até agora sempre foram entregues no prazo e na forma solicitados ao Ministério Público de Manhuaçu. Por fim, cumpre destacar que a Prefeitura de Manhuaçu está à disposição do MP e espera o esclarecimento dos fatos o mais rápido possível", conclui a nota.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário