06/12/2017 07:49:00

Presos acusados do assalto a joalheria em Fabriciano

Envolvidos foram localizados no bairro Esperança, em Ipatinga, e grande parte do material recuperada



Wellington Fred


Cerca de 70% dos objetos roubados da joalheria foram recuperados pela policia


Os acusados de autoria no assalto a uma joalheria, localizada no Centro de Coronel Fabriciano foram localizados e presos na rua Vitória-Régia, no bairro Esperança, em Ipatinga. Uma grande quantidade de material roubado na manhã de terça-feira (5) foi recuperada pelos policiais militares.

O tenente Wanderson relatou ao Diário do Aço que policiais receberam informações sobre a presença de pessoas armadas no Esperança. Uma operação foi montada para verificar a situação e deparou com Richardson Simon Vieira de Souza, de 21 anos, o “Patolinha”, Athos Kennedy Rodrigues da Silva, de 22, e Sérgio Augusto de Souza dos Santos, de 20 anos.

O trio estava em uma casa e parecia comemorar algo, o que atraiu a atenção dos policiais. Como Patolinha e os outros têm passagens policiais, entre elas pela prática de assaltos, os militares desconfiaram que a comemoração poderia estar ligada ao roubo em Coronel Fabriciano.

Também estava presente na casa abordada Aressa Ariane Chaves Andrade Cruz do Nascimento, de 23 anos. Ela é mulher de um dos suspeitos de envolvimento com o crime, Matheus Filipe Anastácio Cota, de 20 anos.

Uma denúncia chegou aos policiais indicando que os objetos roubados na joalheria poderiam estar na residência do casal, localizada nas proximidades da residência abordada.

Os policiais militares foram ao local indicado, acompanhados de Aressa, mulher de Matheus, que não foi encontrado no imóvel.

Ela tentou alegar que estava separada e não tinha a chave da residência, contudo, os policiais conseguiram entrar com a autorização da proprietária.

Para a surpresa dos PMs foram encontradas no imóvel várias joias espalhadas por diversos cômodos, todos os objetos com etiquetas da loja assaltada. Um caderno também foi apreendido constando o material que foi roubado, uma espécie de “contabilidade” do assalto.

Reconhecimento

A vítima e testemunhas foram chamadas para comparecer à sede do Posto da Polícia Militar do bairro Iguaçu, onde reconheceram Patolinha e Athos como os criminosos que assaltaram a joalheria e relojoaria Miriam. O comerciante assaltado chegou a chorar ao notar que quase 70% do material roubado foi recuperado.

Em conversa com o Portal Diário do Aço, os suspeitos tentaram negar envolvimento no assalto, contudo ao serem reconhecidos, confessaram aos policiais a participação no roubo. Os bandidos, entretanto, não informaram onde estavam as armas usadas no ataque e nem onde estava o restante das joias roubadas.

Negaram
Ao ser questionado sobre o envolvimento com o assalto, Richardson Vieira, o Patolinha, permaneceu em silêncio. Richardson estava em liberdade condicional havia dois meses e agora volta ao cárcere.

O outro suspeito, Athos, afirmou que não tem relação nenhuma com o ato criminoso. “Eu não tenho nada a declarar. Meu advogado é Deus. Que dia foi este assalto? Não estou sabendo de nada”, respondeu com ironia Athos.

Sérgio de Souza também negou a acusação de ter participado do assalto. “Não tenho nada para falar. Eu estava na casa quando chegou a polícia, não estou entendendo nada”, contou Sérgio.

Produtos
Os policiais apreenderam 29 pulseiras, 21 aneis, 40 relógios, 62 alianças de prata, 97 pingentes, oito cordões de prata, 32 cordões folheados a ouro, 28 pares de brincos e três tornozeleiras. Os dois autores do roubo, com Sérgio e Aressa, foram encaminhados ao plantão da 1ª Delegacia Regional de Ipatinga.


Homens são presos por assalto em joalheria



Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Comentários

Bope

07 de Dezembro, 2017 | 06:59
CADEIA DURA NESSES MALANDROS E TRABALHO DE TAPAR BURACOS, VARRER RUAS, RECOLHER LIXO, CAPINAR RUAS, PRESOS EM CORRENTES DE AÇO.

Carlos

06 de Dezembro, 2017 | 10:31
Cade os rostos dos anjinhos ein???? Parabens PMMG. Orgulho de Minas!!!

Fotogrago

06 de Dezembro, 2017 | 09:14
Cadê as fotos dos anjos? Divulgando as fotos teremos mais cuidados ao transitar pelas ruas.
Envie o seu Comentário