04/12/2017 17:35:00

Não acabou



Divulgação

Pelo regulamento, o Campeonato Brasileiro terminou anteontem. Mas na prática ele ainda continua, ao menos para os torcedores do Galo e Vasco da Gama, que, curiosamente, dependem ainda do maior rival de ambos, no âmbito nacional e estadual, respectivamente.

Isto porque só se o Flamengo, já com participação garantida na fase de grupos da Libertadores, for o campeão da Sul Americana, cuja decisão começa nesta quarta-feira, contra o Independiente da Argentina, se abrirá uma nova vaga para o Atlético disputar a competição continental, enquanto o Vasco iria direto para a fase de grupos, sem ter que passar pela dita pré-Libertadores.

O “filósofo” do futebol, Neném Prancha, treinador e figura popular do futebol carioca nas décadas de 60/70, sempre citado nas crônicas do grande Nelson Rodrigues, dizia que “o jogo de futebol só acaba quando termina”.
Neste caso, a disputa ainda não acabou para as torcidas do Galo e Vasco da Gama, que, mesmo a contragosto, terão de torcer para um grande rival, o Flamengo, ser campeão.

Super favorito
Foi realizado o sorteio dos grupos para a Copa do Mundo na Rússia, em 2018, cabendo à Seleção Brasileira enfrentar três adversários – Suíça, Sérvia e Costa Rica - que não metem medo nem gols, apesar do técnico Tite dizer que não, e ter sido exatamente o único treinador do seu grupo que não vê o Brasil como franco favorito.

Só posso atribuir o gesto dele a uma maneira de não parecer, digamos assim, nem arrogante nem "pretensioso. Uma forma, talvez, de mostrar discrição, embora os outros três técnicos adversários no grupo tenham declarado o Brasil como superfavorito, dizendo ainda que vão brigar pelo segundo lugar.

Um deles, de nome quase impronunciável em português, Mladen Krstajic, é curiosamente o técnico interino da Sérvia, pois o titular foi demitido logo após a classificação nas eliminatórias europeias. Este interino foi até mais enfático e disse que “o Brasil não só é favorito do grupo, mas favorito da Copa".

“Menos, menos”!, diria o personagem do Jô Soares, mas é claro que, se não somos o principal favorito, estamos, sim, entre os prováveis candidatos ao título da Copa na Rússia em 2018.

FIM DE PAPO
• Pelo que mostrou o sorteio dos grupos e os confrontos da primeira fase da Copa do Mundo, ficou claro que Holanda e Itália farão falta, pois dariam mais qualidade aos jogos de abertura, que à exceção de Portugal x Espanha, Alemanha x México ou Inglaterra x Bélgica, são previsíveis e sem graça nenhuma. Aliás, com razão, o jogo inaugural do torneio, entre Rússia e Arábia Saudita, já é considerado na imprensa mundial "a pior abertura da história das Copas”.

• Outra especificidade deste sorteio, desta vez relacionada com o Brasil e totalmente negativa, foi a ausência do presidente da CBF. Dos 32 países classificados para o Mundial na Rússia, o único presidente de Confederação que não participou do evento foi ele, Marco Polo del Nero, que não viaja, não sai do Brasil, com medo de ser preso por conta das acusações de corrupção que constam da sua ficha suja em vários países, como os Estados Unidos, onde o seu antecessor, José Maria Marin, está preso. Certo é que, sendo uma seleção “superfavorita” ou não, a ausência do presidente da CBF causou constrangimento ao nosso país.

• Nas definições da última rodada do Campeonato Brasileiro, Coritiba e Avaí, dois clubes do sul do país, caíram para a Série B, juntando-se ao Atlético-GO e Ponte Preta, que já estavam rebaixados. Foi bom ver dois clubes do Nordeste, Vitória da Bahia e Sport Recife, se salvarem da degola.

Mas o grande feito foi da Chapecoense, que mesmo diante de tantas dificuldades, pela tragédia aérea que vitimou que todo o seu time, seus dirigentes etc, conseguiu reagir e conquistar uma vaga na pré-Libertadores 2018. A façanha da Chape, deixando para trás gigantes com muito mais tradição e poder financeiro, como o São Paulo e Atlético, merece ser exaltada.

• Outra curiosidade da última rodada do Brasileirão foi o Atlético Mineiro terminar em 9º lugar ajudado pelo maior rival estadual, o Cruzeiro, que não entregou o jogo, como muita gente pensou que ia acontecer, ao empatar em 2 x 2 com o Botafogo, tirando o alvinegro carioca da Libertadores. Foi um sinal de dignidade dos jogadores cruzeirenses e do técnico, Mano Menezes.

O Cruzeiro tinha tudo para sacanear o rival, pois sabia que o Atlético enfrentaria um time Sub-20 do Grêmio, e que se perdesse não permitiria ao rival ficar como agora, esperando o resultado do Flamengo na Sul-Americana. Se o Galo terá a mesma ajuda do Flamengo nós só vamos saber daqui há alguns dias. “O futebol, cheio de dúvidas, incertezas, contradições, emoções, alegrias e tristezas, é uma metáfora da vida”. Tostão. (Fecha o pano!)


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Comentários

Gb

05 de Dezembro, 2017 | 23:58
Tava esquecendo. Constrangimento maior foi a baderna que os golpistas transformaram o Brasil. Depois disso o tal Del Nero nem e' faltoso percebido.

Gb

05 de Dezembro, 2017 | 23:49
Muito engracado. Por que o tal juizeco Moro juntamente com a justica e a imprensa golpista brasileira, que se dizem contra a corrupcao, nao prende o tal desse Del Nero por aqui mesmo?? Me engana q eu gosto!!!
Envie o seu Comentário