30/11/2017 14:55:00

Bebê atingida por reboco em Ipatinga não resiste a ferimentos

Ferida, criança foi levada para a UPA, mas não resistiu e morreu




Bebê chegou a ser socorrida e levada para a UPA, mas não resistiu e morreu


Uma menina de apenas seis meses não resistiu aos ferimentos que sofreu, quando um pedaço de reboco desprendeu-se do teto do imóvel onde estava, na rua Las Vegas, bairro Vila Militar, em Ipatinga, e morreu.

A tragédia, no começo da tarde desta quinta-feira (30), chocou as pessoas. Conforme os vizinhos relataram ao Diário do Aço, a menina que se chama Sara Emanuelle estava na companhia de uma babá, enquanto a mãe trabalhava, quando houve o acidente.

Diferentemente do que chegou a circular nos grupos em redes sociais, não foi um muro ou parede que desabou, mas sim, um pedaço de reboco do teto.

A cuidadora da menina a levou para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no bairro Canaã, mas a bebê não resistiu aos ferimentos no tórax e morreu.

O corpo foi, em seguida, transferido para o Instituto Médico-Legal para ser necropsiado. A babá ficou em estado de choque e não conseguiu explicar sobre o acidente.

A reportagem do Diário do Aço encontrou o pai da criança na tarde passada. Muito abalado, não teve condições de falar sobre o caso. Ele trabalha como coletor na empresa concessionária da limpeza urbana em Ipatinga e deixou o serviço assim que soube do acidente.

Reprodução

Sara Emanuelle tinha apenas seis meses de vida





Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Comentários

Marlene Maria de Souza

01 de Dezembro, 2017 | 08:29
Não bastasse a tragédia que se abateu sobre a família, até o presente momento o IML o IML não liberou o corpo para o velório. É urgente que se estabeleça procedimentos/responsabilidades para um atendimento de respeito à dignidade humana naquele Setor. Com a palavra, as autoridades competentes, em qualquer instância do poder público. Da nossa parte, solidariedade ao Wilson (dedicado trabalhador da limpeza urbana em Ipatinga) e familiares, e profunda indignação à prestação deste serviço público.

Simone Alves

30 de Novembro, 2017 | 18:52
Que tragédia, minha nossa senhora de Aparecida. tenham dó da babá e dos pais dessa pobre criança.
Envie o seu Comentário