28/11/2017 18:02:00

Liga de Desportos de Ipatinga



Divulgação

O ano está chegando ao fim, e a LDI faz um balanço positivo sobre a temporada e suas várias competições. O presidente Roberto Xavier e toda a sua equipe podem ter certeza que, apesar de tantas dificuldades, o saldo foi positivo.

Além da renovação do convênio que é muito importante para a entidade, e as parceria realizadas com a Nippon Steel, que permitiu dar mais tranquilidade para trabalhar as categorias de base, e com as eleições da LDI se aproximando, fica a certeza do dever cumprido. Quando assistimos as finais das competições, percebemos a importância da entidade para o futebol amador.

Na próxima temporada a Liga de Desportos de Ipatinga terá outra diretoria, que deve continuar promovendo o esporte de Ipatinga. Que tudo aquilo de bom que ficou seja valorizado e possa ter continuidade, para que a LDI com o tempo se torne totalmente independente de qualquer órgão público.

Que o convênio venha para somar com as parcerias, e não ser uma solução única para a sobrevivência da entidade. Fica a expectativa de novas parcerias com as empresas privadas da região, e que novos projetos façam parte da vida da LDI.

SÉRIE B
Parabéns à equipe do Caravelas, campeã da Série B após conquistar o título sobre a equipe do Iguaçu. As duas estarão de volta à elite do futebol ipatinguense na próxima temporada, em busca de novas conquistas. A segunda partida foi realizada no Ipatingão, com a presença de um bom número de torcedores que foram prestigiar as suas equipes.

ESCOLA RODRIGO POSSO
Mais uma vez uma conquista veio coroar o bom trabalho, realizado pela escolinha do ex-goleiro do Cruzeiro e do Ipatinga. Rodrigo Posso tem transformado o esporte em um porto seguro para garotos em busca de uma oportunidade no mundo do futebol, e também de se tornar cidadãos do bem.

A sua equipe na categoria sub-10 foi campeã Ipatinguense da temporada, teve ainda o goleiro menos vazado, o artilheiro da competição - com 37 gols - e ainda levou o troféu disciplina. Parabéns a todos pela conquista e pelo trabalho realizado nos núcleos da escolinha de futebol.

IPATINGÃO
Parabéns ao poder público, pelo trabalho que vem realizando no Ipatingão, principalmente na questão de liberação do público, que durante muitos anos ficou restrito. Em apenas um ano foi liberado o total de público pagante, portanto, se entende que as exigências feitas não eram coisas impossíveis de atender.

Fica a expectativa também da liberação para trazer de volta as cadeiras que foram retiradas de seus locais, e que o estádio volte a ter um bonito visual. Este deve ter sido o único estádio do mundo de onde se tirou cadeiras do lugar para alguma solução naquele momento.

LIBERTADORES
Hoje o Grêmio vai decidir o título da Taça Libertadores da América, contra o Lanús, da Argentina, no campo do adversário. E porque venceu a primeira partida, pelo placar mínimo, precisa agora de um empate para conquistar o título. Aqui no Brasil, muitas equipes estarão torcendo para a conquista do time gaúcho, para sobrar mais uma vaga para a classificação da Taça Libertadores para o próximo ano.

ARBITRAGEM
A falta de critérios da arbitragem brasileira demonstra que falta muita qualidade, e é preciso tomar algumas providências com relação a postura dos profissionais em campo.

No jogo entra Atlético e Corinthians, o atacante Jô simplesmente “deitou” na área, cavando uma penalidade máxima, e nem cartão amarelo o árbitro teve a coragem de dar a ele. O que é lamentável, pois com certeza, se ele fosse de outra equipe, teria sido advertido. E o mais bizarro da semana foi o lance envolvendo a partida entre Coritiba e São Paulo, onde a bola tocou na mão do jogador do Coritiba.

O árbitro Anderson Daronco foi avisado pelo seu assistente adicional, Eleno Todeschini, que a bola tocou na mão do jogador do tricolor, e a penalidade foi marcada de forma errada. Mas isto vem acontecendo em todos os jogos, com cenas absurdas, e nenhuma providência é tomada.

Os clubes devem tomar uma atitude e não aceitar mais pagar os assistentes que ficam ao lado dos gols, pois eles não contribuem em nada na partida, não falam, não ouvem e não escutam, e não marcam quando tem que marcar. E se fizer um levantamento sobre os erros das arbitragens este ano, todos verão que o número é absurdo.

E não justifica dizer que o erro é humano, pois os erros que tem acontecido são estranhos demais para uma partida de futebol comum.

LEMBRANÇAS
Dos tempos onde a modalidade da Peteca era um dos carros-chefes dos clubes de Coronel Fabriciano, Timóteo, Ipatinga e região, onde foram realizadas até competições a nível nacional. A Peteca hoje caiu no esquecimento, e muitos que lutaram para que os clubes fossem reconhecidos como ponto de disputas para os petequeiros, hoje vivem apenas da saudade.

roberto50mg@hotmail.com.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário