15/11/2017 10:40:00

Nutrição esportiva, o que você precisa saber?



Divulgação


A nutricionista Lorena Rodrigues
A nutrição esportiva é uma especialidade que visa beneficiar não só os atletas, mas também aos praticantes de atividade física quanto ao seu desempenho e saúde. Para a nutricionista Lorena Rodrigues, essa área vem sendo cada vez mais procurada e conta com alguns desafios.

“Não é uma área simples de se trabalhar, o público é muito exigente e o profissional deve ter muito estudo e atualização no dia a dia, para que na prática clínica a teoria seja aplicada com embasamento científico, de modo seguro e eficaz”, afirma a nutricionista.

Uma alimentação individualizada para atletas e/ou praticantes de atividade física é capaz de melhorar o desempenho, a formação de energia e promover uma melhor recuperação muscular, preparando o paciente para a próxima sessão de treinamento, evitando prejuízos ao seu rendimento e à saúde.

É muito importante que o paciente/atleta esteja ciente de que a sua alimentação implica diretamente em seus esforços e resultados.

Divulgação

E vale lembrar que, para se alcançar o sucesso, vários fatores são avaliados, levando em consideração a individualidade de cada um tanto quanto as suas necessidades energéticas, funcionamento do sistema digestivo, imune e hormonal, entre outros.

Não existe fórmula pronta, e quando tratamos de nutrição, sempre devemos prezar pela individualidade.

“Neste tipo de acompanhamento, conseguimos manter um bom estado nutricional com uma composição corporal ideal (peso, massa muscular e percentual de gordura), e também bons níveis de compostos bioativos, macro e micronutrientes, tendo uma ação benéfica direta na imunidade, inflamação (induzida pela atividade física intensa) e redução do risco da ocorrência de lesões”, ressalta.

Uma avaliação cautelosa é feita de maneira individual com cada paciente, para que se defina a necessidade da utilização de recursos ergogênicos e também um cálculo definindo as quantidades de macronutrientes (lipídeos, proteínas e carboidratos - simples/complexos) a ser ingerida ao longo do dia, inclusive a definição dos momentos específicos para inseri-los.

“Infelizmente, alguns erros são percebidos durante a prática clínica, tais como a utilização de recursos ergogênicos (suplemento) sem a orientação de um profissional capacitado ou sem ajustes na alimentação, além do consumo exagerado de alimentos ricos em proteína por praticantes de musculação”, finaliza Lorena Rodrigues.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário