23/10/2017 18:14:00

Festa alvinegra



Divulgação

A torcida do Galo está em festa, após a vitória no clássico de domingo, 3 x 1 de virada, no Mineirão, sobre o Cruzeiro, seu maior rival. Os dois chegaram ao clássico em situações opostas. Considerado favorito, no Cruzeiro tudo era festa, de boa com a torcida, por ter já conquistado um título importante, a Copa do Brasil, garantindo o direito de disputar a Libertadores em 2018, além de fazer uma boa campanha no Brasileiro.

Já o Galo, pressionado pela torcida após a derrota por 3 x 2 para a Chapecoense, em casa, no meio da semana, era só incertezas. Mas, como se trata de futebol, o favoritismo costuma cair por terra tão logo o árbitro autoriza o início do jogo.

E foi isso o que se viu no Mineirão, sob os olhares da maioria cruzeirense presente ao estádio, que incrédula viu brilhar as estrelas do Galo, sobretudo a de Robinho, que ultimamente se achava apagada e ressurgiu agora em alto estilo, como nos bons tempos do início de sua carreira pelo Santos.

Estrelas brilham
O primeiro tempo não chegou a empolgar, mas o Cruzeiro, com um time mais equilibrado, conseguiu uma boa jogada já próximo do fim da etapa, que terminou 1 x 0 a seu favor, com o gol de Thiago Neves em chute fraco, ainda por cima com o pé direito, que não é o seu forte, mas que o goleiro Victor aceitou. Bola defensável.

O segundo tempo iniciou com o domínio do Cruzeiro, que poderia ter matado a partida nos primeiros quinze minutos, não fosse a estrela do goleiro Victor ter brilhado em pelo menos quatro ocasiões com defesas milagrosas, redimindo-se da falha no primeiro gol celeste.

Mas para coroar a tarde alvinegra, o Galo empatou com o baixinho Otero (1,65m) cabeceando entre os zagueiros grandalhões Murilo e Manoel, muito mal posicionados, em uma bela jogada do lateral Fábio Santos.
A partir daí só deu Robinho. O craque voltou a exibir toda a sua classe, arte, habilidade, faro de gol, incisivo e decisivo, fez dois golaços como nos bons tempos do início de sua carreira no Santos.

No gol da virada (2 x 1), bateu rasteiro no canto direito. No terceiro, chutou alto no canto esquerdo de Fábio, com a bola ainda pegando na trave, sempre puxando para dentro com o pé esquerdo e batendo com o direito, precisão absoluta que só acompanha os gênios do futebol. E a vitória só não virou goleada porque Cazares, em assistência de Robinho, frente a frente com Fábio, desperdiçou uma chance incrível.

FIM DE PAPO
A semana foi muito ruim para a China Azul, pois o time amargou duas derrotas seguidas, primeiro para o Coritiba, na quarta-feira, e a segunda, obviamente a mais doída, para o maior rival no clássico.

Se serve de consolo, além do fato de já ter conquistado um título importante da Copa do Brasil, que lhe garante o direito de disputar a Libertadores em 2018, a renovação por dois anos do contrato de Mano Menezes, além da notícia da contratação para a próxima temporada do volante e meia Bruno Silva, jogador do Botafogo, confirmada pelo presidente Gilvan de Pinho Tavares, que teria sido um pedido do técnico.

Até então em baixa e aguentando as gozações dos rivais, o torcedor do Galo agora é só alegria. Desde a noite de domingo inundou as redes sociais de memes zoando os cruzeirenses, sempre com muito bom humor. Até a global Maria Júlia Coutinho, a Maju, apareceu ao lado do apresentador e atleticano Chico Pinheiro, falando em “chuva de gols” do Galo para cima do Cruzeiro. Quem tem um jogador, um craque como Robinho, mesmo que seja em fim de carreira, pode esperar sempre um algo mais, algo excepcional, como foi a sua atuação neste clássico.

É necessário reconhecer os méritos do técnico Oswaldo de Oliveira, que mudou o time da água para o vinho, recuperando o próprio Robinho, rebaixado pelo seu antecessor à condição de reserva. Agora com 41 pontos ganhos, embora ainda esteja em 10º lugar na classificação, o Atlético ficou apenas três pontos distante do Botafogo, que será seu próximo adversário, domingo (29), no Independência, sétimo e último da zona de classificação para a pré-Libertadores, pela qual de fato passará a lutar, pois a ameaça de rebaixamento já não é mais problema.

A vitória do Democrata de Sete Lagoas sobre o Poços de Caldas (3 x 1) adiou a classificação antecipada do Ipatinga para a 2ª Divisão ou Módulo II, em 2018. Agora o Tigre precisa ao menos empatar com o já eliminado Ponte Nova, sábado à tarde, no Ipatingão, para garantir o acesso. Será o jogo da vida do Tigre este ano, e não se pode pensar em outra coisa senão uma vitória, para coroar o trabalho bem realizado da atual diretoria, comissão técnica e jogadores. A torcida está ansiosa para comemorar a subida do primeiro degrau rumo à elite do futebol estadual. (Fecha o pano!)


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário