10/10/2017 07:49:00

Assalto termina em morte no povoado de Boachá, em Ipaba

Criminoso disparou uma garrucha acertando a vítima com um tiro no pescoço



Fotos: Enviadas para o Portal Diário do Aço


José Célio foi morto neste bar, durante um roubo praticado por dois assaltantes

José Célio de Oliveira, de 54 anos, foi assassinado covardemente durante um assalto na noite de segunda-feira (9). O crime aconteceu na Praça Estevam Quintino de Menezes, na localidade de Boachá, em Ipaba. A polícia já levantou os nomes de três suspeitos que estão sendo procurados na região.

Conforme apurado pelo Portal Diário do Aço, o assalto ocorreu por volta de 21h20, conforme testemunhas que se encontravam no bar do Celsinho. As vítimas relataram que chegaram dois homens em uma motocicleta de cor escura e um deles portava uma garrucha. A dupla mandou que todos ficassem quietos, pois era um assalto.

Um dos bandidos revistou três pessoas que jogavam sinuca, em busca de objetos de valor, enquanto o comparsa dele foi até José Célio. Ele mandou que a vítima entregasse a chave da moto e um celular. A vítima respondeu que não estava com a chave e nem tinha o aparelho que desejava.

O criminoso aproximou a garrucha, junto à cabeça da vítima, e diante de um movimento de José Célio foi efetuado um disparo. O tiro acertou o pescoço da vítima, que ainda tentou correr, mas caiu perdendo muito sangue. José morreu antes de ser socorrido. Os marginais fugiram sentido ao povo de Beija-flor, na motocicleta.

O bar foi isolado até a chegada da Polícia Militar e também da perícia da Polícia Civil. O corpo de José Célio foi encaminhado para o Instituto Médico-Legal de Ipatinga para a necropsia. Uma equipe da PM foi informada sobre nomes de suspeitos do crime, porém eles não foram encontrados até o momento.

Vítima de tentativa de assalto é assassinado em Boachá, no Ipaba


Mais
Polícia procura quadrilha que roubou e incendiou carro em Ipaba
MAIS FOTOS
Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Comentários

Sacapó

12 de Outubro, 2017 | 07:52
Um porco cheio de sebo podre, chefiando quadrilha, desarmou o povo de bem,
e deu aval para armar bndido. Armar o povo e limpar esses lixos de bndidos,
que nem o incardido quer no inferno.

Geovana

10 de Outubro, 2017 | 17:00
Até quando? Vagabundos matando e ficando livres pra matar dinovo, o polícia prende e a lei dos políticos santinhos solta, direitos humanos só defende os desumanos, enquanto nós humanos estamos vivendo reféns desses desgraçados q nem o demônio quer no inferno, é muito revoltante, não conheço o moço, mais dói muito pq sei que ele foi apenas mais um, amanhã pode ser eu ou alguém da minha família, não dá mais, tem q matar esses pestes tudo, fazer uma limpeza pq só assim pra gente ficar livre e sentir um pouco de justiça, limpeza já...

Gustavo

10 de Outubro, 2017 | 11:54
Eu sou do bem, estou passando até por dificuldade, mais tenho fé que é só momentos,mas se vagabundo roubar perto de mim, dificilmente ele rouba alguém de novo...

Silva Lopez

10 de Outubro, 2017 | 11:33
Ou seja, já foram com a intenção de matar. Como sabiam que a vítima tinha uma moto? um celular ?
Dá refresco não, polícia. Fogo nesses vagabundos.

Roberto

10 de Outubro, 2017 | 11:11
Concordo com vc Gustavo. As pessoas de bem ñ tem o direito nem de se defender pq as leis prende, mas os vagabundos estão ai nas ruas roubando, matando e ñ acontece nada .a Polícia ñ dá conta eles enxugam gelo só coitados, podem arreparar sempre q tem essas saídas temporárias de presos os crimes aumentam. Demoro regime Militar bruto sem do nem piedade .vagabundo bom é morto. Cadê a motoquinha pra tomba um pouco de vagabundo. vergonha de ser brasileiro

Edmar

10 de Outubro, 2017 | 10:35
Um homem muito trabalhador ,eu o conheço desde que nasci ,e ele já era um trabalhador em fazenda não perdia nenhum dia de trabalho ,muito educado , humilde brincalhão com todo mundo , uma perda muito dolorosa ,agora é aguardar "justiça" nesses dias de hoje !!!!

Gustavo

10 de Outubro, 2017 | 09:17
Desarma o cidadão do bem, mais não desarma o bandido,o cara tem que andar armado também, a justiça não tá dando conta, tem que fazer igual o caso de Virginópolis,,,,bobo é quem não tem um oitão pra dar nesses caras, e agora? Como fica? fica a família sem o ente querido e acabou.... já os marginais,hj ou amanhã tá cometendo crimes de novo,,,, é revoltante, eu tenho vergonha de morar no Brasil, isso pode acontecer com qualquer um....
Envie o seu Comentário