09/10/2017 16:51:00

Hora de decisões



Divulgação

Esta semana é decisiva nos cinco continentes, onde diversas seleções vão jogar visando a participação na Copa do Mundo da Rússia, que acontecerá entre 14 de junho e 15 de julho de 2018. Se na Europa algumas potências do futebol mundial, como Portugal, Itália e Holanda, sobretudo a última, estão em apuros para obter a classificação, aqui no nosso continente quem vive este drama é a Argentina.

Agora imaginem só uma Copa do Mundo sem os dois melhores jogadores do planeta? É impensável, hoje, um Mundial sem Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, as duas maiores estrelas do futebol no planeta. Ou então, como se diz aqui nos nossos grotões, “seria pior do que comer sem carne no domingo”.

A missão da Argentina de Messi, hoje, será derrotar o Equador, na altitude de Quito, para, ao menos, disputar a repescagem. Já os nossos patrícios precisam ganhar da Suíça, em Lisboa, o que não é tão complicado assim, para conquistar a vaga direta. Caso haja um empate eles vão ter que disputar a imprevisível repescagem europeia.
Ao contrário de muita gente que, por conta da eterna rivalidade com os hermanos, vai torcer hoje pelo Equador, confesso que estarei hoje do lado argentino, mas só por causa do Messi.

Quanto a Portugal, nem tanto pelo marrento craque, Cristiano Ronaldo, mas pelos laços fraternos de amizade e tradição que vêm de berço, a nossa preferência é pela seleção dos nossos patrícios.

Coisa chata
Se a Copa do Mundo, na Rússia, sem Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, seria como comer sem carne em dia de domingo, um fim de semana, um domingo sem futebol, para a maioria dos brasileiros, é uma coisa muita chata. Foi assim mais uma vez no último fim de semana, por conta dos jogos das seleções envolvidas nas eliminatórias para a Copa do Mundo na Rússia.

O tédio diminuiu um pouco, pois no sábado teve o Cruzeiro, no Mineirão, quando derrotou de virada a Ponte Preta (2 x 1), jogo antecipado em razão do show do ex-Beatle, Paul MacCartney, em BH.

Por mais que procure outra diversão e entretenimento, a falta de um joguinho para curtir no estádio ou pela TV é de lascar, ainda mais aos domingos, deixando o brasileiro que ama o futebol desorientado.
Mas, como tudo na vida passa, a fome de futebol também, amanhã a bola volta a rolar pelo Brasileirão. E hoje tem a seleção brasileira, além dos jogos decisivos das eliminatórias sul-americanas para a Copa da Rússia.

FIM DE PAPO
O Galo recebe o São Paulo, amanhã, no Horto, onde tem tido desempenho pífio nesta temporada. Deixou de ser o “Rei” do Horto, e quem cai lá dentro agora nem sempre sai morto. Neste retorno à sua casa, agora comandado pelo técnico Osvaldo Oliveira, o que a torcida atleticana espera do time é uma coisa só: vitória. Até porque o adversário é um concorrente direto na luta contra o rebaixamento.

Os jogadores do Cruzeiro deram uma lição de profissionalismo e responsabilidade, vencendo a Ponte Preta de virada, sábado, no Mineirão. Com o resultado, diminuíram as bobagens ao vento insistentemente divulgadas, onde se atribuía uma possível queda de rendimento da equipe à turbulência política vivida pelo clube na última semana, em razão da eleição de sua nova diretoria.

No programa “Meio de Campo”, exibido domingo à noite pela TV Cultura, o apresentador Orlando Augusto revelou que o ex-zagueiro Marcelo Djian, atualmente representante de jogadores, que teve uma bela passagem pelo Cruzeiro de 1997-2001, será o novo diretor de futebol, juntando-se à equipe que está sendo montada por Itair Machado, futuro vice-presidente de futebol do clube.

Como a maioria do elenco tem contrato até o fim de 2018, a prioridade será renovar com o técnico Mano Menezes, para depois trazer reforços pontuais e de qualidade, a fim de tentar ganhar títulos importantes com o foco principal na Libertadores.

Ótimo mesmo seria uma vitória, mas o empate com o Democrata, em Sete Lagoas, pode ser visto como excelente para o Ipatinga, pois manteve a liderança da “terceirona” estadual, além de segurar um adversário direto na luta pela classificação. No próximo sábado, com a expectativa de um grande público no Ipatingão, o Tigre receberá o Atlético B. Uma vitória praticamente lhe garantirá o acesso à 2ª Divisão, ou Módulo II, em 2018.

“O futebol é uma caixinha de surpresas”, dizia o ex-técnico Gentil Cardoso. Mas com um futebol seguro e eficiente, o Tigre dirigido por Eugênio Souza dificilmente deixará escapar a chance de dar o primeiro passo para cumprir a meta de retornar à elite estadual em 2019. (Fecha o pano!)


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário