06/10/2017 15:53:00

Gaeco detalha operação que desvendou esquema criminoso no Sinprafarma Vale do Aço

Dinheiro dos trabalhadores era usado para quitar despesas pessoais do presidente e até a amásia dele assinava documentos



Reprodução: Tv Cultura


Gaeco deverá entregar denúncia em breve para a Justiça
A Operação Placebo, que investiga um esquema criminoso na administração do Sindicato dos Práticos de Farmácia do Vale do Aço (Sinprafarma), está próxima do fim.

Até o momento foram presos o presidente da entidade, Adeildo Vago e outros três indivíduos de nomes ainda não divulgados.

As práticas ilegais foram denunciadas primeiro ao Ministério Público do Trabalho que, posteriormente, encaminhou as informações para o Grupo de Atuação Especial em Crime Organizado (Gaeco), formado pelo Ministério Público de Minas Gerais, Polícias Civil e Militar. O Gaeco informa que a denúncia deve ser entregue em breve à Justiça.

As investigações da Operação Placebo apontam que o presidente Adeildo utilizava os recursos destinados ao Sinprafarma Vale do Aço para custeio de despesas pessoais. Além do pagamento de diversas dívidas, a renda que deveria ser revertida em prol dos sindicalizados, era utilizada para bancar viagens e até manutenção de uma casa de praia, com aluguel mensal de R$2.400,00.

Ainda segundo os membros do Gaeco, todas as operações do sindicato eram realizadas de modo irregular. A entidade arrecadava a contribuição sindical sem ofertar os serviços obrigatórios para a categoria representada. Além disso, os documentos como atas de reuniões eram assinadas por pessoas não sindicalizadas, amigas do presidente e até a
amásia dele.

“O dinheiro em espécie era recolhido nas farmácias e praticamente não há notas de entrada e saída, o sindicato era um total descontrole. Encontramos muitas notas fiscais de consumo pessoal, como da compra de rodas para o carro do presidente e notas fiscais da compra de cerveja”, informa o delegado de Polícia Civil, Gilmaro Alves.

O presidente e os outros envolvidos no escândalo serão enquadrados na denúncia a ser encaminhada à Justiça em diversos crimes, principalmente o peculato. Confira, no vídeo abaixo, a explicação de todo o esquema de corrupção do Sinprafarma Vale do Aço.

Gaeco detalha crimes cometidos no Sinprafarma Vale do Aço


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário