06/10/2017 14:58:00

Aluna do CSFX é a mais votada nas Eleições Mirins




Luisa de Moura Moraes, do CSFX


A estudante do Colégio São Francisco Xavier Luisa de Moura Moraes foi a candidata mais votada nesta edição das Eleições da Câmara Mirim, realizada quarta-feira (4), em 37 escolas públicas e privadas do município. Luisa obteve 392 votos e, agora, eleita, pretende colocar em prática suas promessas de campanha.

“Eu tenho como proposta a concessão de rampas e melhoramento das calçadas em respeito aos cadeirantes. E também o aprimoramento das praças públicas e implantação da coleta seletiva em Ipatinga”, disse a nova vereadora mirim.

Além de Luisa, mais 75 estudantes foram eleitos. Vale lembrar que legislatura de dois anos é dividida em quatro mandatos de seis meses, sendo cada um deles composto por 19 jovens parlamentares.

Implantado em 2007, de autoria do atual presidente da Câmara, vereador Nardyello Rocha, o projeto Câmara Mirim de Ipatinga organiza uma das maiores eleições mirins do país. São mais de 10 mil alunos envolvidos, número este superior aos eleitores da maioria das cidades mineiras.

Para quem ainda não conhece, a Câmara Mirim tem por objetivo favorecer o entendimento dos estudantes sobre projetos, leis e atividades inerentes à função do vereador. São realizadas discussões e reflexões sobre os problemas da cidade que mais afetam a população, em encontros mensais, no próprio plenário da Câmara. Os estudantes são estimulados a pensar como um vereador e apresentar sugestões para a melhoria da sua rua, da comunidade, do bairro e da cidade, contribuindo para a formação da cidadania entre os jovens.

Regina Lopez, mãe da aluna e candidata Sindy Caroline Lopes de Sá, da Escola Municipal Artur Bernardes, e o presidente da Câmara, Nardyello Rocha


“É a inserção do jovem dentro do mundo político, para que tenhamos amanhã políticos e, principalmente, cidadãos melhores que nós temos hoje. Além disso, a própria família e amigos também se envolvem com o projeto, difundindo ainda mais a importância e o papel do Poder Legislativo para a comunidade”, disse o vereador Nardyello Rocha, em visita a escolas, no dia da eleição.

E foi exatamente o que fez Dona Regina Lopez, mãe da aluna e candidata Sindy Caroline Lopes de Sá, da Escola Municipal Artur Bernardes, que se envolveu de peito aberto com a Eleição Mirim. Ela disse que toda a família acompanhou de perto a campanha da filha. E esse esforço gerou frutos. A candidata Sindy Caroline obteve impressionantes 218 votos, sendo a segunda colocada no quadro geral.

“Eu que conheço as necessidades de minha escola pretendo buscar melhorias para o banheiro e a área de esporte. Quero poder melhorar a estrutura da escola”, prometeu a nova vereadora mirim.
Outros alunos também obtiveram votações expressivas. Uendy Luara Teixeira, da Escola Municipal Deolinda Tavares, conseguiu 209 votos, enquanto Ícaro Paulino Ferreira, da Escola Estadual Nilza Luiza de Souza Butta, 200 votos.

Urna própria
Nesta 6ª edição das Eleições da Câmara Mirim, os alunos não puderam contar com a urna eletrônica cedida pela justiça eleitoral, a mesma urna utilizada numa eleição normal. Para substituir essa ausência, foi desenvolvido um programa por técnicos de informática da Câmara de Ipatinga que simula com exatidão a urna eletrônica, incluindo, inclusive, aquele “barulhinho” quando se termina a votação. Servidores da Câmara e educadores de cada escola também estiveram envolvidos ao longo de todo o dia de votação, trabalhando como mesários e encarregados na instalação da seção, na condução das votações e no encerramento do pleito.

Cada escola possuía uma seção eleitoral, e os alunos tiveram que se identificar e assinar o caderno de comparecimento. À medida que cada turma era chamada, filas foram sendo formadas para a votação. Os candidatos também receberam santinhos com um mês de antecedência para poderem fazer campanha política, que não se resumia apenas na escola de origem. Foi permitido fazer campanha em outras escolas e votar em candidatos de outras instituições de ensino. Tudo isso para passar aos alunos a impressão de uma eleição no formato exato de uma eleição adulta.

Votação contou com programa especialmente desenvolvido para colher votos


Os profissionais de educação não ficaram de fora e participaram de todo o processo eleitoral. Eles veem o projeto da Câmara Mirim com bons olhos e incentivam, desde início da campanha, debates dentro de sala de aula. E o professor de História Aloysius Gentil, do Colégio São Francisco Xavier, concorda com projetos como a Câmara Mirim dentro das escolas, incentivando a formação cívica dos estudantes.

“Acreditamos que o ambiente escolar colabora muito com formação de cidadãos conscientes de seus deveres, direitos e obrigações, e principalmente cidadãos que acreditam e apostam que sua ação vai mudar e transformar a realidade”, disse o professor.

A votação teve início às 7h30 e se estendeu até as 17 h, de acordo com o turno escolar de cada escola. A apuração ganhava corpo ao longo do dia, a partir do momento em que as primeiras urnas chegavam à Câmara. Foi disponibilizada transmissão ao vivo pelo Facebook para que os candidatos pudessem acompanhar a apuração. Alguns preferiram vir ao plenário da Câmara para ver de perto a contagem. Com a chegada das últimas urnas, no fim da tarde, a apuração pôde ser concluída em poucas horas e, por volta das 19h, o resultado final foi divulgado (lista completa no facebook.com/camaramunicipalipatinga).

Com o resultado final, os 76 alunos eleitos, que estejam cursando do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, foram divididos em quatro mandatos. Para o primeiro mandato, dá-se prioridade aos alunos do 9º ano. Para o segundo mandato, alunos do 8º ano, e assim seguidamente. As escolas já receberam , via correio eletrônico, a relação dos alunos por mandato. A primeira posse já está marcada para o dia 22 de novembro.


Reação dos Leitores





Envie o seu Comentário