03/10/2017 23:23:00

Itacaré, um lugar para ser feliz

Prensada entre o oceano atlântico e uma gigantesca área preservada de Mata Atlântica no lombo de uma serra, Itacaré torna-se um lugar incomum no litoral baiano



Fotos Alex Ferreira

Praia do Centro: ancoradouro de barcos à margem do rio de Contas


Situada na Costa do Cacau, ao sul de Salvador, a pequena cidade de Itacaré abriga uma grande variedade de belezas naturais: praias com cenário cinematográfico, cachoeiras deslumbrantes, Mata Atlântica preservada, rios, manguezais e as melhores ondas da Bahia para o surf, que atraem turistas do mundo todo. Não se assuste se repentinamente em uma rua você perceber que ninguém ao seu redor fala português, mas sim inglês, espanhol ou hebraico.

Prensada entre o oceano atlântico e uma gigantesca área preservada de Mata Atlântica no lombo de uma serra, Itacaré torna-se um lugar repleto de cachoeiras e de praias deslumbrantes. O município também apresenta uma formação geológica única, no Nordeste brasileiro.

Na área urbana, a cidade colonial conserva muitos vestígios do seu passado glorioso, da época de ouro da produção de cacau. Casarões históricos foram transformados em pousadas e albergues. No Centro comercial, de mercearias a dois grandes supermercados, passando pela feira livre com produtos direto da produção rural da agricultura familiar e peixarias, abastecem a pequena cidade. O serviço de hospedagem dispõe desde os camping pop até suntuosas pousadas.

A gastronomia apresentada pelos restaurantes da rua da Pituba e da avenida atlântica é uma tentação ao paladar. Quer um lugar com sabores estonteantes? É lá sim que se encontra isso. Prepare-se para viver momentos espetaculares na vida noturna de Itacaré, ao som de reggae, forró, rock e muita MPB. Tem lugar para virar a noite.

Praia da Tiririca é o paraíso dos surfistas em Itacaré


Praias

Itacaré possui praias urbanas como a Concha, onde existem cabanas que servem almoço, pratos variados da culinária baiana e uma infinidade de aperitivos e petiscos.

Experimente o drink preparado na fruta do Cacau. A Concha é a única praia de águas tranquilas da região. A lâmina d´água é coberta por pranchas com pessoas de todas as idades praticando o stand-up padle e caiaques. É de lá onde pode-se desfrutar de um perfeito pôr-do-sol na ponta do Xaréu ou na entrada do farol, olhando para a foz do rio de Contas.

Paraíso do Surf

A menos de um quilômetro do Centro tem a praia do Resende, uma das mais charmosas com muito verde, mas sem estrutura turística, muito apreciada por seu isolamento por banhistas e surfistas.

A partir do Resende todas as praias têm água azulada e areia branca e muito fina, que produz um som ao desligar os pés rapidamente sobre elas. São as areias cantantes de Itacaré. Às 16h tem Tai Chi Chuan sobre a grama e entre a sombra dos coqueiros na calma e deserta praia do Resende.

A próxima praia é a da Tiririca, a 200 metros, conhecida por suas ondas fortes e próprias para surf. O acesso pode ser pelas pedras ao sul da orla de Resende ou pela estrada. Ainda seguindo pela costa dos rochedos chega-se a praia da Ribeira conhecida por possuir uma piscina natural.

É pela Ribeira que, com insistentes guias turísticos, pode-se chegar à Prainha, depois de 40 minutos de caminhada por trilhas dentro da mata. Vá de tênis e leve água para tomar na estrada. A Prainha é totalmente selvagem e perdida no meio do mato.


Pontal

Outro passeio marcante em Itacaré é ir de barco, que pode ser alugado na praia do centro, e seguir pelo rio de Contas até uma cachoeira que fica distante 40 minutos. Os administradores do lugar cobram entrada. A cachoeira possui um restaurante bem estruturado. Não aceitava cartão em abril de 2017.

Também é um passeio espetacular, a praia do Pontal do Rio de Contas. Fica do outro lado da foz do rio. A travessia de barco dura apenas 5 minutos. Para quem gosta de caminhar, a beira da praia do Pontal segue ao Norte por longos 30 quilômetros. Tudo selvagem. Leve uma mochila com bastante água e lanche.

A única cabana, do Maraú, fica na ponta, perto do local de desembarque. Agende com o barqueiro a hora da volta ou anote o número de celular dele. Os barqueiros não gostam de buscar turistas depois da baixa da maré, por causa das dificuldades de ancoragem dos barcos.

Mas, se algum dia quiser algo mais pegue de volta a estrada sentido a Ilheus e curta: Jeribicaçu (3 km de trilha), um pouco mais à frente tem a praia de Engenhaca. Ao lado, o Havaizinho. Depois tem a entrada para Camboinha e Itacarezinho.

E se o dia amanheceu mais uma vez ensolarado, e não quer água salgada, uma das muitas cachoeiras é a do Tijuípe, cujo acesso é pela rodovia BA-001, que liga a Ilheus. Uma trilha curta e leve é a chegada à cachoeira que possui cerca de quatro metros de altura e tem,na sua base, uma piscina natural que propicia um banho refrescante.
Divulgação

Se o dia amanheceu com sol quente, você decide, praia ou a cachoeira do Tijuípe


O que não fazer em Itacaré

A rua da Pituba é um dos principais pontos turísticos de Itacaré. Bem segura. Mas seus dois quilômetros devem preferencialmente serem percorridos a pé. A rua apertada não comporta o público e os veículos.

Uma boa parte da Pituba já foi transformada em calçadão e a prefeitura executa um projeto que transforma em via exclusiva de pedestres o restante da Pituba.

Quando for para as trilhas das praias selvagens não leve grandes quantias em dinheiro nem equipamentos eletrônicos de grande valor (celulares e câmeras, por exemplo), para evitar chamar a atenção de assaltantes. Eles costumam aparecer por lá e atacar grupos de turistas. Não ignore essa realidade.

Nas ruas de Itacaré ande sempre pelos lugares mais movimentados. Evite a todo custo circular pelas áreas mal iluminadas, pelas praias à noite e cantos desertos das ruas e bairros. A exemplo de outras cidades brasileiras, Itacaré também sofre com os crimes contra o patrimônio. Com os cuidados que se toma em qualquer lugar, corre-se menos risco. Não faça turismo em Itacaré sem conhecer a geografia do lugar e a localização dos atrativos naturais. O guia Itacaré.com é um dos mais completos em informações locais.

Como chegar

Para quem sai do Vale do Aço ou Belo Horizonte, de carro, o caminho é pela BR-116 até Teófilo Otoni, depois a BR-418 até Posto da Mata e BR-101 até Itabuna, onde entra-se para Ilhéus. Depois pega-se 80 quilômetros estradas estaduais à beira mar para chegar a Itacaré.

Outra possibilidade é um voo direto para Ilhéus e depois lotação, ônibus ou táxi para Itacaré. Outra viagem possível é de Salvador para Barra Grande por balsa e depois de carro (40 km) até Itacaré. Boa viagem. (Repórter: Alex Ferreira)


Itacaré, um lugar para ser feliz o ano todo

MAIS FOTOS
Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Comentários

Mario Marcelo

05 de Outubro, 2017 | 21:23
Esse e o Brasil que queremos .
Envie o seu Comentário