12/09/2017 18:13:00

Fiscais realizam operação no Centro de Ipatinga

Fiscais da Prefeitura de Ipatinga chamam à atenção de lojistas que instalaram barras para a proteção de portas e vitrine no Centro



Wôlmer Ezequiel


Barras de ferro e madeira foram instaladas por 13 lojistas no Centro de Ipatinga
Fiscais da Prefeitura de Ipatinga iniciaram, nesta semana, uma operação de combate ao comércio irregular dos vendedores ambulantes não cadastrados, no Centro da cidade. No exercício dessa atividade, ocupam calçadas e até mesmo vagas de estacionamento, o que provoca transtornos aos lojistas e aos consumidores. Outra ação realizada pelos agentes da PMI foi a inspeção da instalação de defensas metálicas e de madeira, nas calçadas, para aumentar a segurança das lojas contra arrombadores que têm usado carros para estourar as portas de aço.

Conforme a administração municipal, o trabalho de fiscalização deverá ter uma frequência regular na região, com o empenho de quatro fiscais para assegurar que o Código de Obras e Posturas do município seja cumprido. O presidente da Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e de Prestação de Serviços de Ipatinga (Aciapi), Cláudio Zambaldi, destacou a importância deste trabalho.

“Gostaríamos de parabenizar a Administração Municipal pela retirada dos ambulantes das ruas. Os fiscais permanecerão no Centro para que os passeios não sejam novamente ocupados pelo comércio irregular. Esta é uma reivindicação da classe empresarial e a Prefeitura tem buscado sanar este problema”, destaca Cláudio.

Barras de proteção

Com o registro recente de arrombamentos em duas lojas no Centro de Ipatinga, 13 lojistas decidiram instalar barras de proteção na porta de seus estabelecimentos a fim de evitar que as lojas sejam alvo deste tipo de crime. Contudo, a medida contraria a legislação municipal. Com a operação de fiscalização realizada pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos e Meio Ambiente (Sesuma), os empresários também foram chamados à atenção.

Divulgação


Encontro reuniu lojistas e representantes da Aciapi, CDL de Ipatinga, Prefeitura e PM
Para entender melhor a situação, o secretário da Sesuma, Gilmar Luciano Alves, participou de uma reunião entre os proprietários, Aciapi e a 82ª Companhia da Polícia Militar, responsável pelo patrulhamento na área central de Ipatinga. No encontro ficou determinado que nenhum lojista que já instalou as barras seria autuado, contudo as estruturas devem ser retiradas, ainda sem um prazo estabelecido.

A prefeitura estuda, junto à associação e PM, uma medida efetiva para a proteção do comércio, mas que não gere risco ao consumidor e que mantenha uma estética agradável no Centro da cidade.

Paliativo

O proprietário da loja Só Marcas, Marco Aurélio Ramos, foi vítima recente dos criminosos e instalou as defensas na calçada. Para ele, esta é uma das ferramentas contra os arrombamentos. “A reunião foi proveitosa e os representantes da prefeitura entenderam que, infelizmente, este é um dos poucos recursos que temos para proteger o nosso patrimônio. Agora, estamos trabalhando em conjunto para encontrarmos uma solução definitiva”, salienta Marco.

A loja vizinha, uma franquia da Cobra D’Água, também foi arrombada e o lojista também instalou as barras na calçada. A gerente da empresa, Pâmela Alves, destaca em entrevista ao Diário do Aço que a solução é paliativa, mas necessária. “Nossa situação está complicada, a loja já foi arrombada. Tomamos esta medida para evitar mais roubos, enquanto não tem outra providência para combater os crimes. Aguardamos a solução desta situação”, afirma a gerente.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Comentários

Marilene

13 de Setembro, 2017 | 11:54
Sobre os ambulantes deveriam definir coisa, negócio, local certo para tais.
Vejo uma jovem senhora que está desempregada.
Ela pega picolé para vender, doces e não fica de braços cruzados.

Tem aquele da verdura.
Ótimas verduras.
Por que impedi-lo de trabalhar?

Quanto aos lojistas PRECISAMOS DA VOLTA DO OLHO VIVO COM URGÊNCIA!

Imagine se tivesse olho vivo? O restaurante popular não teria sido assaltado mais uma vez!

Marcio

13 de Setembro, 2017 | 11:02
Porque as barras de proteção não foram estaladas nas porta da lojas e não nas calçadas que e um espaço público protegido pelo código de postura

Pedro

13 de Setembro, 2017 | 09:07
Prezado Pedro,

Em argumentação,sugiro rever seu texto, em que preste tais alegações contraditórias.O Poder público tem '' poder de policia '' tal qual de fiscalizar e punir.Não tirou o pai de família das ruas simplesmente por que ele tava vendendo mercadoria. Essa mesma mercadoria pode ser fruto ilícito, não contabilizado pelos cofres públicos, ou seja, muitas dessas mercadorias são pirateadas, no caso de produtos duráveis.Já no caso de serviços e comestíveis também afrontam não só a tributação(impostos/taxas) como também à saúde pública,seja direta ou indiretamente.Com todo respeito, o Sr. argumenta que de que os postos de saúde estão sucateados, pois bem, veja o reflexo: ambulante que não está devidamente licenciado,não gera renda para o Município e pior, aquele que consome produtos sem a devida sanitária ,fica sujeito à doenças e causam prejuízo dobrado para o Município, vez que , deixam de tributar comprando mercadoria de rua e também ao usar o serviço público, gerando gasto para a secretaria de saúde local.EX: compra uma marmita de rua,sofre uma intoxicação alimentar.Pra onde essa pessoa vai? advinha? Posto de saúde né.Lógico que, o bom senso tem que prevalecer: 1. notificar. 2. autuar.3 remover !!!! Um dica: faça um MEI-micro empreendedor individual !!!! assim, quem tá na rua tem os mesmos ''direitos e deveres de quem tá no comércio.'' Não votei no Quintão,acho que ele caiu ali de para quedas,pois a imagem do PT tá queimadíssima, nacionalmente falando... como é o caso do PMDB nacional em dias atuais.

Cleidson Pereira de Lima

13 de Setembro, 2017 | 01:29
Acho um absurdo tira o pai de família da rua aonde ele ganha o pão prós filhos .vendendo sua mercadoria. Eu votei no senhor Quintao mais hoje mim arrependo e muito.enguanto ele está preucupado com ambulantes no centro de ipatinga. Os postos de saúde tão sem vacina sem remédio como pode meu filho tem 2 meses e até hoje não consequi toma a dose da vacina rota vírus

Luis Fernando Alves...

12 de Setembro, 2017 | 19:22
tá dificil...se correr o bicho pega se ficar o bicho come..Agora a solução que eu encontrei;vou fechar minha ARAPUCA.
Vou tentar ser politico pra ver se consigo umas malas de dinheiro..ou se não vou ser traficante porque não dá mais ´pra ser honesto nessa D de pais..se eu fosse o presidente eu teria vergonha de aparecer em publico..eu as vezes fico imaginando...será que os avôs e os pais dessa corja de politico ladrão ensinaram foi isso pra eles.."O MAIOR ERRO DESSA CORJA DE BANDIDO É PENSAR QUE TODO MUNDO É BOBO E QUE DEUS É CEGO." ..
Envie o seu Comentário